Archives

All posts for the month março, 2010

Nosso ultimo dia em Fernando de Noronha, com certeza, vai deixar saudades. Acordamos mais tranqüilos hoje pois nosso passeio só começa as 8h. Tomamos café e ficamos aguardando nosso transfer eis que passados das 8h30, a Grazi foi até a agencia de turismo que fica do outro lado da rua da nossa pousada perguntar sobre o transfer e disseram que ainda estão recolhendo. Aguardamos mais um pouco até que o Pedro, dono da pousada, resolveu ligar para o pessoal do barco que disse que já tinham partido! Ficamos muito chateados com isso, mas o Pedro acabou conversando com o pessoal que voltou para nos buscar. Um amigo deles nos levou de carro até o porto e embarcamos em direção a baia dos golfinhos. Pelo caminho muitos deles vieram para o lado do nosso barco.

Após conhecer as ilhas menores perto dos golfinhos, fomos em direção a Caverna da Sapata, estava muito quente neste dia e sol azul. Na volta paramos na Praia do Sancho, onde fizemos mergulho com snorkel e almoçamos. O almoço não me agradou muito, pois era peixe mas a Grazi disse que foi o melhor almoço de Noronha. Após comer, iniciou nosso segundo passeio, o Planasub. Segundo o que o pessoal contou, era um, passeio muito legal e realmente foi. O barco nos puxa a uma velocidade de 5km/h e como estávamos de snorkel, fomos apreciando o fundo do mar, passamos também pelo barco que afundou no porto que estava em perfeitas condições (pelo menos parecia) e depois nos deixou no porto de novo.

Na volta antes do planasub, o barco passou pela boca do leão, onde o barulho das águas junto com as fendas nas rochas produz um som impressionante que parecia um mugido de leão, como é chamado.

Retornamos para a pousada, tomamos nosso ultimo banho, nos arrumamos e antes de sairmos para o meu almoço, passamos na operadora de turismo para reclamar que esqueceram do nosso passeio. Apesar do pessoal ter dito que era uma agencia nova não acreditamos que poderia ser picareta, enfim desorganizações a parte deu certo no final.

Pegamos o bug e fomos almoçar de novo no flamboyant, não tínhamos muito tempo pois o transfer ira nos buscar as 15h40 para levar ao aeroporto. Após um almoço rápido, fomos atrás de lembrancinhas de Noronha. Como era domingo a maioria das lojas estavam fechadas, que pena, logo só compramos algumas coisinhas.

Devolvemos o bug e pegamos o transfer para o aeroporto. Lá no aeroporto despachamos nossa bagagem e ficamos aguardando a abertura do embarque. Estava muito quente e nem ar condicionado tinha naquela área.

O vôo para Natal leva apenas 5 minutos (tendo em vista o fuso horário), comemos as porcaria que dão no vôo, que é pior que o da Gol. Tiramos mais algumas fotos e descansamos, tínhamos uma longa viagem pela frente ainda.

Chegando em natal por volta das 18h, nosso embarque para SP era somente as 23h15 portanto resolvemos sair para jantar. Pegamos um taxi em direção a Ponta Negra, local onde tem os melhores restaurantes de Natal. Escolhemos um rodízio de Camarões no Terra dos Camarões, claro que lá tinha carne também. A Grazi se esbaldou nos diversos tipos de camarões e eu fique com uma picanha grelhada.

Na saída o restaurante ofereceu um serviço de transfer de volta para o aeroporto mais barato que o taxi, então aproveitamos. Como estávamos só nos, o motorista nos levou para um mini city tour pela orla de Natal. Conhecemos alguns restaurantes, bares e pousadas. Natal parece ser uma cidade muito legal, que com certeza voltaremos para conhecer melhor.

Ao retornarmos para o aeroporto, aguardamos um pouco ainda para a abertura do check-in, despachamos nossas malas e ficamos na praça de alimentação vendo o fantástico e aguardando a abertura do embarque.

O vôo até são Paulo levou em torno de 4h, eu fui dormindo boa parte do caminho pois estava bem cansado da viagem. Chegamos em Guarulhos por volta das 3h15 da manha e nosso vôo para Porto Alegre era somente as 7h10 da manha, nem pensamos duas vezes, fomos de novo para aquele hotelzinho do aeroporto. Dormimos apenas 2h mas foi o suficiente para descansar um pouco.

Ao acordar fomos para a aera de embarque e seguimos em direção a Porto Alegre onde o pai da Grazi estava nos aguardando. Com certeza foi uma viagem curta mas intensa lugar que com certeza iremos voltar e com mais tempo para aproveitar o que a ilha tem de melhor.

Acordamos atrasados de novo, tomamos um café na corrida. O café da pousada é bem bom, pena que não temos tempo para comer tudo.

Em seguida o nosso transfer já estava nos aguardando, hoje faríamos dois mergulhos com a expectativa de conhecer o ponto de mergulho chamado Pedras Secas. Já chegando no porto descobrimos que nossos dois mergulhos seriam na Caverna da Sapata e Laje Dois Irmãos, esta bom, pois esses dois pontos queríamos conhecer também. Hoje o Dramim fez mais efeito, pois não enjoei em nenhum momento, nos equipamos e descemos.

Na primeira descida, estava com muito lastro então o mergulho não foi muito proveitoso ainda que lá em baixo inventei de tirar 2kg de lastro e fiquei muito positivo, então nem consegui ficar muito em baixo. Neste ponto, descemos a 22m de profundidade, passamos por um “portal”, tinha bastante corais que podia passar por dentro alem de muita vida marinha. Hoje não vi nenhum tubarão, que pena pois estava com a maquina para filmar tudo. Fizemos diversas fotos e filmamos bastante também para ilustrar nosso DVD da viagem. Com pouco mais de 50min, retornamos para a embarcação em direção ao próximo ponto de mergulho.

Esta outra descida teve um contratempo. Ao iniciar a minha descida, logo nos 3m iniciais tive um problema com o meu regulador e começou a vazar oxigênio, então tive que retornar para a embarcação para troca de equipamento. Feito isso, caí na água e fiz minha descida direta, nesta vez ajustei melhor o meu lastro. Em seguida encontrei o grupo, a visibilidade hoje estava menor que ontem, apenas 20m.

Este ponto é mais raso que o outro, mergulhamos na faixa dos 16m. Definitivamente o mar de fora é muito melhor que o mar de dentro, lá tem mais correnteza fazendo que o fundo do mais torne mais interessante. Neste momento, nossa maquina estava sem memória para mais recordações, então aproveitamos o passeio. Nessa descida, ficamos nos mesmos 50min de tempo de fundo.

De novo na embarcação, retornamos ao porto, fomos para a pousada para tomar banho e trocar de roupa e fomos almoçar de novo no restaurante flamboyant. Não é a melhor comida mas é baratinho, alias, ontem a comida estava melhor. Neste dia, resolvemos voltar para a pousada para dar uma dormidinha, vida de mergulhador não é fácil, precisa acordar muito cedo.

Ao acordar, nosso destino era o porto de novo, fomos lá para alugar os equipos para fazer mergulho de snorkel, queríamos conhecer o barco grego que naufragou no porto e também mergulhar no sueste junto com as tartarugas marinhas. Pela beira da praia, fomos mergulhando e procurando a embarcação, que não encontramos, mas conseguimos ver tartarugas, raias, e muitos peixes então desistimos e fomos para a praia do Sueste.

Chegando lá já era final da tarde e essa “visita as tartarugas” se encerrava as 18h, então entramos logo na água e tínhamos 400m pela frente para nadar. A água estava bem ruim, estava difícil de ver quanquer coisa porem o pessoal nos falou que onde ficam as tartarugas a visibilidade é melhor. O caminho foi longo, estávamos bem cansados também por causa dos mergulhos. Chegando lá foi impressionante a quantidade de tartarugas e elas são muito grandes, eu vi umas 5 juntas. Ficamos um pouquinho ali e logo iniciamos nossa longa volta até a beira da praia, ficou bem puxado.

Na volta, fomos ver o por do sol no Boldró, que foi outra dica que li no blog de um viajante. O clima era muito legal, tinha um barzinho e bastante gente curtinho o final de tarde ali. Tomamos duas caipirinhas e tiramos fotos. De lá tem uma vista muito bonita de toda ilha.

Retornamos para a pousada para tomar banho, nos arrumamos e fomos até a agencia de turismo que nos trouxe para o hotel, fomos reservar e pagar nosso passeio de amanha com os golfinhos. Na saída, passamos na Atlantis para ver as fotos e preencher nossos logs book.

Nossa janta hoje foi uma indicação do dono da nossa pousada, o restaurante Teju-Açu, que fica próximo a pousada do Zé Maria. No caminho para a pousada, fomos olhando e procurando lojinha de souvenir para comprar as lembrancinhas mas parece que aqui não tem muito disso.

Chegamos na pousada onde tinha o restaurante, era bem chique mas também, a diária custa em torno de R$800,00 – 1500,00 reais por dia. O lugar era bem romântico, pedimos uma espumante para comemorar nossa passagem por Fernando de Noronha e para comer, meu prato foi um trio de filet com um risotto de abacaxi e a Grazi comeu um Harmonia dourada da Teju, que era um Filé de dourada ao molho de maracujá agridoce acompanhado com arroz de ervas com castante de caju e camarões grelhados e purê de inhame, segundo ela estava ótimo.

Na saída conversamos com o gerente do restaurante que nos contou diversas histórias interessantes sobre Noronha.

Retornamos para a pousada pois queríamos dormir cedo, vimos um pouco de TV e em seguida dormimos.

Acordamos atrasados já pois o soneca nos enganou. Fomos correndo tomar café e logo em seguida chegou o nosso transporte para o porto. Eu fui comendo ainda. No porto, tinha bastante gente aguardando para embarcar, pois o deck principal foi destruído em uma enchente algum tempo atrás. Chegando nossa vez, subimos a bordo e recebemos os nossos pontos de mergulho pois aqui só se sabe na ultima hora que é quando o IBAMA libera o locais conforme vão saindo.

Nosso primeiro mergulho foi no ponto de Caieiras, o mar estava um pouco agitado e acabei enjoando, mesmo tomando um dramin. Me concentrei e chegamos lá e que quando cair na água o enjôo passa. A visibilidade estava ótima, em torno de 25m e a água bem quentinha. Nesse mergulho, vimos um tubarão de 2m dormindo, uma lagosta e um monte de tipos de peixes. Outra coisa muito legal é a dança das águas, vou ver se amanha consigo filmar isso.

Voltamos para o barco depois de um mergulho de 50min e fomos em direção ao próximo ponto, que era o ilha do meio. Nesta segunda descida, coloquei mais peso no meu lastro para ver se ficava mais em baixo sem muito esforço. Passamos por de baixo de uma caverna, vimos uma moréia e o pessoal disse ter visto um outro tubarão, uma raia e uma tartaruga. A Grazi gostou mais do primeiro e eu gostei do segundo, minha descida também foi melhor.

Exaustos voltamos para a pousada, tomamos um banho e fomos dar uma deitadinha, que acabou levando quase 1h. Levantamos meio desesperado, pois estávamos perdendo tempo dormindo e fomos almoçar no restaurante flamboyan, na praça aqui perto da pousada. O almoço é por quilo e estava muito boa a comida. Nesta hora já estávamos com nosso meio de locomoção na ilha, pois aquilo não dá pra chamar de buggy e aqui vou chamar de ‘bug’.

Bem alimentados fomos conhecer o sul da ilha, o primeiro lugar foi a baia de Sueste, local onde tem mergulho de snorkel e acho que vamos me4rgulhar amanha neste lugar. Na saída, pegamos uma estrada de chão batido do lado desta praia e subimos em direção a praia do xxxx que acabamos nem descendo, fizemos umas fotos e filmagens e logo voltamos para o bug. Eis o inicio da nossa novela, o bug não pegou, pareceu estar afogado mas sei lá. Um outro buggeiro nos ajudou a empurrar e logo pegou. No caminho de volta para a pousada, achamos uma entradinha para outra praia e íamos conhecer eis que kjá na entrada o carro apagou e não pegou mais. Recebemos ajuda de um caminhoneiro, de outro buggueiro e até da policia federal, mas não teve jeito, tínhamos que esperar esfriar.

Resolvemos voltar para a pousada para o cara arrumar o problema do bug, pois ficar sem saber se ele vai arrancar ou não nem pensar. O dono do bug chegou em seguida junto com um mecânico que arrumaram o carro, era a tal da bobina que esquentava e não puxava gasolina.

Com o bug funcionando, fomos conhecer a área acima do porto, o museu dos tubarões, air france e arredores. Não tinha nada demais por lá, então pegamos o bug e seguimos para a baia dos porcos, queríamos ver o por do sol de lá. Caminhamos bastante, eu conheci a fenda natural que leva para a praia do sancho, que eu até me animei em descer para conhecer. De lá caminhamos mais um pouco até o mirante da baia dos porcos. Tiramos bastante fotos e curtimos o por do sol.

Como já estava escurecendo, voltamos para a vila e fomos marcar nosso ultimo passeio, o do domingo de manha. Tínhamos duas opções: Mergulho com os golfinhos e passeio de aquasub ou passeio nas piscinas naturais de atalaia? o problema é que as duas eram no mesmo horário e dia. Acabamos ficando com o 2 em 1 e deixaremos o atalaia para fazer na próxima vez que viermos aqui. Na saída demos uma passadinha para pagar o resto do mergulho e olhar as fotos que a fotografa tirou durante o mergulho de hoje.

Na pousada descansamos um pouco e fomos jantar no restaurante do Hotel Maravilha, que tem uma diária de R$2000,00, e foi a nossa janta mais cara por enquanto. A comida estava excelente, eu comi um baby beef ao molho de barbecue com macaxeira com raspas de bacon e a grazi um file de atum ao molho tarê com legumes a julienne. Nesta janta encontramos o pessoal que mergulhou com a gente hoje de manha.

Voltamos para a pousada vimos o final da novela e o BBB, e aproveitei para fazer o diário pois corria o risco de esquecer alguns detalhes. Queria dormir cedo para estar melhor para o mergulho de amanha, mas é difícil.

Como já é tradicional nas férias, o dia anterior a saída é uma correria.. Tentamos encaminhar todas as pendências antes de sair e ainda queria ir pra casa cedo para arrumar as malas sem pressa, mas pra variar não deu. Chegamos em casa as 21h e descobrimos que nem mala a gente tinha. O pai da Grazi nos levou até o aeroporto onde aproveitamos para jantar (McDonalds).

Nossa primeira escala era em SP, onde nosso voo só sairia às 6h da manhã, eis que conhecemos um comissário de voo que nos disse que existe um hotel dentro do aeroporto e que cobra por hora, achamos ótima a idéia e fomos pra lá.. por 120 pilas dormimos para conseguir aproveitar o primeiro dia em Noronha.

Levantamos as 5h30 para tomar café e a Grazi para fazer alguns trabalhos ainda. Nosso embarque era as 7h com destino a Natal/PE. O voo durou 4h e foi tranquilo.. aproveitei o tempo para dormir e comer.

Chegamos em Natal, um calor de 30 graus e o frio que eu estava passando no avião passou na hora. O aeroporto é bem pequeno e aproveitei para sacar dinheiro e logo embarcamos para Noronha num avião de hélice. Esse trecho é bem rápido, em torno de 1h já estávamos fazendo um voo ao redor da ilha… essa hora foi muito legal pois de repente aparece aquele paraíso em nossa frente. Calor estava pior, mas estávamos empolgado para conhecer tudo. Na saída tinha uma van nos esperando, nem sabia que tínhamos isso.

A van nos deixou na pousada que também nos surpreendeu, pois o custo era relativamente baixo para a região e no quarto tinha banho quente, ar condicionado, tv lcd, frigobar etc. Deixamos as malas, ouvimos as instruções do Pedro e logo fomos almoçar, estávamos morrendo de fome. O almoço não foi bem definido, acabamos comendo um bauru no restaurante da mãezinha.

Na saída fomos marcar nosso principal objetivo em Noronha.. mergulhar. Por indicação do Guilherme, fomos direto na Atlantis e agendamos dois mergulhos pra amanha e 2 para sábado. Depois disso, fomos conhecer as praias aqui perto da pousada que era a praia do cachorro, da conceição e praia do meio. Tomamos banho de mar na praia da conceição e na praia do cachorro. As praias estão cheias de pedras, pois não esta na melhor temporada.

O por do sol foi no Forte de nossa senhora de remédios. O forte estava em reformas mas conseguimos aproveitar o momento.. estava cheio de gente lá. Voltamos para a pousada, que alias as ruas aqui são bem “rústicas”, cheio de pedras e buracos.

Tomamos banho, a Grazi trabalhou um pouco mais e depois fomos jantar na outra indicação do Guilherme, Pizzaria na Moita que infelizmente estava fechada, então comemos uma pizza ao lado da igreja e estava ótima, uma pizza diferente com massa bem fina e crocante que se come com as mãos. Tinha musica ao vivo e estava passando um dvd com cenas de Noronha. Depois de comer bastante, tínhamos que voltar para pousada, como é cheio de ladeiras, sofremos um pouco para retornar.

Já na pousada, olhamos um pouco do BBB e fomos dormir, pois o pessoal do mergulho vem nos buscar cedo amanha.

Neste final de semana ocorreu nosso checkout docurso de mergulho.. foi muito legal, a galera é muito gente boa e ainda conseguimos concluir o curso!!

Segue o relato feito pelo nosso instrutor Guilherme.

Aproveitando o mês de março, fomos curtir mais um final de semana de mergulhos em Florianópolis e visitar nosso amado Arvoredo!

Apesar da temperatura , em torno dos 26°C, o sábado estava nublado, porém com mar calmo, quase uma piscina, com água na casa dos 25°C, mas a visibilidade…infelizmente, talvez ainda devido aos efeitos do ciclone extra-tropical da semana anterior, a água não estava nos seus melhores dias…

Com aproximadamente 2 m de visibilidade, caímos no Saco do Engenho para dois mergulhos que exigiram boa navegação das duplas certificadas (tá, alguns usaram a famosa técnica “tartaruga”!), controle de flutuabilidade e exigiu de nossos alunos muita atenção e coragem para enfrentar tais condições!
A recompensa foi um mergulho perfeito para a vida macro! Com um tempo de fundo de 30 min. em cada mergulho (já que dividimos nossas turmas, para aumentar a segurança devido à falta de visibilidade), aos nove metros, em média, vimos vários grupos de marias-nagô infantis e juvenis, cardumes de manjubas, nudibrânquios, tartarugas, garoupas, badejos e um belíssimo trombeta!
Voltamos à praia com um pouco de chuvisco e imaginando o que o domingo nos reservava…

NADA COMO UM DIA DEPOIS DO OUTRO…
Uma das coisas que mais me impressiona no Arvoredo é com que rapidez as condições podem mudar!

Domingão, acordamos com um dia lindo de sol! Como a Páscoa se aproxima, tivemos de lanche no barco saborosos bolos típicos da Páscoa!!
A temperatura do ar estava perfeita e a água mantinha os mesmos 25°C do dia anterior!
Durante nossa navegação em direção à ilha já imaginávamos as condições que poderíamos encontrar no Saco do Vidal, nosso ponto de destino, que tinha que ser aproveitado com um mar calmo sem ondulação espumando nos paredões! Tudo dependeria da visibilidade…

Felizmente a água estava bem melhor! Caímos para fazer dois mergulhos de 50 min., com 5 metros de visibilidade e, já no primeiro mergulho vi um par de lulinhas, menores que uma unha, mudando de cor e “tentando” demonstrar agressividade…hehehe; e um peixe-cachimbo! Duas espécies que não via há bastante tempo por lá!

Nosso segundo mergulho brindou-nos, ao final, com uma bela tartaruga!!!

Mas como tudo o que é bom, uma hora acaba, já era hora de nosso retorno…

Nossos parabéns aos mais novos mergulhadores deste PLANETA: Luciano, Márcia, Ana Evangelista, Fernanda, Rafael Cidade, Tiago, Graziela, Leonardo, Mariana, Renato, Rafael Filter, Fabiana, e também para a Thanise! Sem esquecer do nosso aniversariante da excursão…Parabéns Roberto Fermann! Um feliz aniversário, saúde, paz felicidades e muita água clara para ti!

Nossa próxima excursão para Florianópolis, com mergulhos na Ilha do Arvoredo, sai dia 23/04… e todos estão convidados!

Agradecemos as fotos do Edimilson da Silva, Thanise Fuller, Roberto Fermann, Márcia Anton e Tiago Meuser que ilustraram a matéria.

Um forte abraço e águas claras a todos…

Decidimos fazer o curso de mergulho autônomo (PADI) pois como estamos indo para Fernando de Noronha onde devemos fazer mergulhos não temos outra escolha, pois ficar fazendo batismo a vida toda não dá. Escolhemos a Planeta Mergulho por indicação do nosso amigo Marcelo Aquini, que fez o curso lá também.

O curso tem duração de 3 dias, entre teoria e piscina e será todo feito aqui pertinho de casa. Após a conclusão das aulas teóricas e praticas, vamos fazer o checkout (prova de mar) em Santa Catarina já na sexta feira agora.

Hoje é aniversário do Pai e fizemos um churrasco aqui em casa para comemorar o niver dele. Foi um churrasco completo com a família completa :)

Chegamos cedo na fazenda pois a ideia era aproveitar o dia todo!

O tempo estava ótimo e quente para um domingo e aproveitamos a piscina e também um belo churrasco. O Paulo, Karina e família vieram aproveitar também.

Depois do almoço, fomos passear pela lavoura de arroz, foi bem divertido. Na saída, a tradicional tranqueira na 040.

DVD’s

Hoje recebi os dvds que eu comprei, acho que são os meus primeiros dvds originais!!