Andes 2006

De 7 de agosto a 1º de setembro de 2006, Tiago Meuser e os amigos realizaram uma viagem muito emocionante pelo Chile e Argentina. Confira as lindas imagens captadas por ele nessa aventura de esqui.

Participando da Expedição de Esqui Andes 2006, Tiago Meuser compartilhou com o INEMA os melhores momentos de tudo o que presenciou por lá.

O INEMA partiu de um sonho, virou uma ideia até que, enfim, concretizou-se. Nestes quase seis anos de trajetória tivemos o prazer de conhecer muitas pessoas, divulgar as mais emocionantes aventuras e saber sobre uma variedade imensa de modalidades.

Tudo isso, movido pela dedicação de esportistas conscientes, que desejam mostrar ao mundo o melhor daquilo que praticam, do evento que organizam, das provas onde estão. Pessoas especiais como Tiago Meuser, que sabe da importância de simples gestos, para levar sua paixão ao crescimento.

Na Expedição de Esqui Andes 2006 , o INEMA teve o prazer de contar com a colaboração de Tiago Meuser, que com sua sensibilidade captou os melhores momentos deste evento. E, não satisfeito, compartilhou de sua história com todas as pessoas que acessam o portal para saber e principalmente ver o que acontece no mundo dos esportes.

Chamamos então, COLABORADORES, todas estas pessoas que assim como Tiago Meuser, de alguma maneira fazem parte da história do INEMA e portanto, da história do esporte. É um colaborador, aquele que apenas assistiu a uma prova, mas captou muitas imagens e contou para o INEMA. Também o competidor, o aventureiro, o apaixonado por algum esporte, atividade de lazer, enfim, qualquer pessoa que valorize os prazeres da vida e queira compartilhar conosco.

Não é difícil ser um colaborador! Basta agir do modo como fez Tiago Meuser nessa aventura. Participar, registrar suas fotos e mandá-las para o INEMA contando tudo o que viu e vivenciou. Então, entre em contato com o INEMA e seja mais uma dessas pessoas especiais e dedicadas, que dividem suas aventuras e divulgam para o mundo seu esporte!

 

O empresário Tiago Meuser, 26 anos, de Porto Alegre-RS, participou da Expedição Andes de Esqui, realizada entre os dias 7 e 31 de agosto de 2006. A viagem proporcionou grandes momentos para esse aventureiro.

 A ideia de realizar essa expedição surgiu através do amigo Marcelo, que tinha vontade de realizar essa aventura há muito tempo, restando apenas parcerias para realizá-la. Eles escolheram as estações onde desejavam esquiar, e assim traçaram os melhores caminhos, levando em conta as cidades e as paisagens. Foram 12 amigos nessa aventura, sendo que a metade foi de carro e em Bariloche chegaram os outros de avião.

Com o objetivo de esquiar em diversas estações, Tiago conta que se preparou durante um mês para essa aventura. Mas avalia que poderia ter se preparado mais. Nesse tempo ele realizou alguns exercícios físicos e confessa que não teve muita persistência. Resultado: Sentiu mais dificuldades ao esquiar.

O grupo de amigos viveu vários momentos interessantes. Entre eles, a chegada ao Chile, onde estava nevando muito e eles ainda nem tinham a onde ficar. As piscinas termais, o caminho de 7 lagos e a montanha de Antillanca, também marcaram os melhores momentos da aventura.

Os aventureiros faziam todos os programas juntos, desde fazer compras, visitarem vários locais, até jantar nos melhores lugares. O investimento da viagem foi de USD 2.500 por pessoa. Eles aproveitaram cada instante dessa expedição.

Sobre os desafios, Tiago conta que o carro de um dos integrantes estragou na auto-estrada, quando estavam a caminho de Mendoza. O problema foi com o câmbio automático da camionete. Nesse momento estava muito tarde, sem muitas alternativas, eles rebocaram o carro. ”Com a ajuda do GPS conseguimos saber onde ficava a cidade mais próxima”, conta.

O Caminho de 7 Lagos foi o lugar mais bonito onde ele esteve. ”As paisagens são magníficas, o caminho cheio de neve, os lagos são quase espelhos, céu azul, tudo é perfeito!”, conta com entusiasmo.

O relacionamento com as pessoas foi tranqüilo. A maioria dos integrantes do grupo fala espanhol fluente. Eles conheceram pessoas nos hotéis, nas estações de esqui e nos passeios. Mas como o grupo era grande, nem sempre tinham um contato direto com as pessoas.

A dica que ele dá para quem pretende realizar essa aventura é procurar pessoas com os mesmos objetivos na viagem, não reservar nada antes e aproveitar as paisagens.

Outra dica: Acompanhar o relato dessa interessante expedição e perceber em cada detalhe como o grupo se divertiu, os lugares por onde passaram e muito mais.

 

 

De 7 de agosto a 1º de setembro de 2006, Tiago Meuser e os amigos realizaram uma viagem muito emocionante pelo Chile e Argentina. Confira o cronograma dessa aventura.

Com a finalidade de esquiar por diversas pistas. Os amigos aventureiros curtiram cada dia com muita intensidade.

7 e 8 de agosto – 2000 Km
Adriano, Portela, Marcelo, Tiago, Sandro e Raul saem de Porto Alegre, por Uruguaiana/Rivera em direção a Mendoza. Pernoite ao longo do caminho, buscando percorrer o maior trecho já no primeiro dia, de forma a viabilizar mais tempo livre em Mendoza.

9 de agosto-170 km
Manhã em Mendoza, visita a lojas de esqui. Depois do almoço, inicia-se a subida da Cordilheira, até a entrada do Parque Nacional Aconcágua. Pernoite em pousada que costuma receber montanhistas com destino ao pico do Aconcágua.

10 de agosto
Vista e fotos do Aconcágua. Seguimos em direção à aduana chilena. Feita a imigração, ingresso no Chile pelo Túnel Cristo Redentor, até o Centro de Esqui Portillo. Prática de esqui durante o dia, descida a Santiago.

11 de agosto-400 km
Santiago pela manhã para visita a lojas de esqui. Trecho de estrada até Termas de Chillan à tarde.

12 de agosto
Dia de esqui em Termas de Chillan

13 de agosto-300 km
Dia de esqui em Termas de Chillan. No fim da tarde, trecho de estrada até Pucón-Villarica.

14 de agosto
Dia de esqui em Pucón.

15 de agosto-250 km
Dia de esqui em Pucón. No fim da tarde, trecho de estrada até Osorno.

16 de agosto
Osorno. Hike e Escalada no gelo no vulcão, ou esqui em La Burbuja (se estiver aberto), no vulcão. Pernoite em Antillanca ou em Osorno.

17 de agosto-98 km
Dia de esqui em Antillanca. Trecho de estrada até Bariloche.

18 de agosto
Mimi, Karina, Lúcia e João chegam em Bariloche às 10h30, no vôo que decola do Aeroparque, em Buenos Aires, às 07h55. Encontro dos dois grupos no aeroporto. Esqui em Cerro Catedral à tarde.

19 e 20 de agosto
Mano e Fabrícia chegam em Bariloche, via aérea. Esqui em Bariloche.

21 de agosto-200 km ida e volta
Saída nas camionetes até Villa Angostura. Dia de esqui em Cerro Bayo.

22 a 26 de agosto
Raul deixa o grupo, voltando por via aérea ao Brasil. Esqui em Bariloche.

27 de agsoto-180 km
Mimi, Karina, Fabrícia, Mano, João e Lúcia embarcam no vôo das 09h de Bariloche para Porto Alegre, via Buenos Aires. Grupo remanescente faz trecho até San Martin de Los Andes, pelo pelo Camiño del Siete Lagos.

28 de agosto
Esqui em Cerro Chapelco. Trecho até Neuquén, no fim do dia.

29 de agosto
Trecho de estrada até Azul, passando por Bahia Blanca para fotos. Pernoite em Azul.

30 de agosto
Trecho Azul – Buenos Aires. Pernoite em Buenos Aires.

31 de agosto-1100 km.
Viagem de Buenos Aires para Porto Alegre, com possibilidade de término da viagem no dia 1º de setembro.

 

Acordamos cedinho, para tentar fazer as compras antes do almoço e seguir viagem para Porto Alegre, pois as lojas fecham das 13h – 16h, mas infelizmente não foi possível, o pessoal é muito amarrado.

Nossa primeira parada foi na Sineriz, onde ficamos praticamente todo o tempo. Lá comprei quase todas minhas encomendas, só restando ver o que mais tinha de interessante por lá. Comprei muitos perfumes, bebidas, e demais bobagens desnecessárias.

Quando as lojas fecharam, fomos almoçar nossa ultima parrillada da viagem. Foi num hotel na rua principal de Riveira, estava bem bom.

Quando as lojas abriram as 16h, seguimos nossas compras pelos outros freeshops. Eu não tinha muitas coisas pra comprar, pois já tinha comprado tudo na Sineriz. Acabei só comprando uns queijos, salames e molhos.

Retornamos com os carros cheios para a garagem onde retiramos todas as compras para organizar tudo e fazer caber tudo o que compramos. Deu um trabalhão, pois todos compraram muitas coisas!

Nessa operação levamos mais de uma hora já deixamos tudo em ordem de paradas. Após abastecer, seguimos para Porto Alegre às 18h, esse ultimo trecho de 500km foi bem desconfortável, pois tinham coisas por tudo!!

Chegamos em Porto Alegrepor volta das 22h, eu fui o primeiro a descer, estava cheio de tralhas.

Ainda bem que amanha é sexta e já tenho pela frente um final de semana para descansar das férias!

Era isso então galera, ano que vem tem mais.

Hoje acordamos cedo, pois queríamos fazer compras de manha e ainda se mandar para Riveira ainda hoje. Depois de um café da manha mais ou menos fomos para o centro de Buenos Aires para fazer as compras de ultima hora. Já no caminho, voltamos à loja da Christian Dior para mais umas comprinhas.

Saindo de lá, fiquei passeando pelo centro e matando tempo para o almoço. Combinamos de almoçar no Palácio de las Papas, sugestão do Marcelo, acabamos pedindo um prato completo, mesmo eu estando sem fome, falavam tão bem desse restaurante que eu não podia ir embora sem conhecer.

Nossa ideia era sair de Buenos Aires logo depois do almoço, mas de ultima hora, nosso amigo Portela resolve fazer mais compras e aí se vão mais de duas horas, enquanto isso, todos o aguardam no hotel. Ao retornarem pro hotel, carregamos os carros de qualquer jeito, pois teríamos que arrumar junto com as comprinhas de Riveira.

A saída de Buenos Aires foi um grande problema, uns diziam que era pra um lado e o resto dizia que era pro outro. No fim ficamos algumas horas rodando perdido até nos localizarmos e seguir a caminho do Uruguai.

Tínhamos pela frente quase 1000km para rodar até chegar em Riveira, acabamos não jantando para chegar mais cedo, fizemos apenas um lanche rápido num posto de gasolina e seguimos viagem. O caminho não deu para aproveitar, pois estava escuro e alguns trechos com chuva.

Acabamos chegando em Riveira as 2h da manha, passamos em alguns hotéis alguns estavam cheios mas conseguimos uma acomodação. Nesse momento chovia bastante, mas resolvemos sair para comer alguma coisa e como estávamos no Uruguai, nada melhor que comer um Pancho com uma Patrícia. A Patrícia não tinha, mas o pancho estava bom.

Já no hotel, ainda tive animo para uma checada rápida nos meus e-mails no meu Palm e cair na cama, estava podre.

Amanha será um dia de muitas compras.

Dormi bem, o hotel é bem confortável.

Tomamos café relativamente cedo, eu já não aguento mais comer medialunas, estou a viagem toda comendo isso no café da manha. O café do hotel é bem bom, e também aproveito para ler meus e-mails no palm, já que tem internet wi-fi por aqui.

Saímos caminhando pelo centro e olhando as lojas, bem perto do hotel, tem uma loja da Christian Dior, que dúvida que eu não ia parar. Fiz umas comprinhas básicas, afinal, aqui é tudo muito barato. Seguimos nossa caminhada pelas lojas do centro, eu em principio não tenho nada pra compras, mas se aparecer algo legal eu levo.

Perto das 14h entramos num shopping onde tinha muitas lojas interessantes, aproveitamos para almoçar também. Tudo o que eu não queria comer hoje era carne, acabei comendo um creme de lomo com molho de 4 queijos, muito bom.

Mais tarde, depois de muito caminhar, fui com o Marcelo conhecer o Puerto Madero e a Casa Rosada. Como já estava escurecendo foi uma visitinha rápida para tirar algumas fotos e logo retornamos para o hotel.

Hora do banho e de se arrumar, nossa janta seria no bairro Las Cañitas e a sugestão foi do maior entendedor vivo que comida tailandesa. Tínhamos uma sugestão de um restaurante tailandês e resolvemos conhecer. A comida estava excelente e o ambiente muito agradável.

Depois disso, passeamos um pouco pelo bairro Palermo Viejo, onde tomamos uma cerveja e depois abandonamos o barco, essa vida de expedicionário cansa.

Na volta, é lógico que fiquei um bom tempo na internet.

Já estou morrendo de saudades de esquiar :(

Acordamos cedo e saímos da espelunca o mais rápido possível, nem o café deu pra aproveitar.

As 9h30 estávamos já na estrada em direção a Buenos Aires, fizemos um abastecimento logo na saída da cidade de Neuquén, aproveitei para comprar uns mantimentos para viagem já que a decisão do grupo foi de não almoçar para não perder tanto tempo e chegar mais rápido em Bs As.

O caminho não tinha muita coisa, cruzamos o deserto de Los Pampas nem tiramos muitas fotos pois não tinha muito que fotografar. Nem preciso dizer que no mínimo uns 400 km eu vim dormindo, tenho problemas pra dormir. hehehe

Tínhamos em torno de 1200 km pra rodar hoje, logo, não podíamos nos amarrar muito se não teríamos que fazer uma pausa em alguma cidade e no dia seguinte seguir viagem, e isso seria um transtorno.

Com algumas paradas em postos de gasolina para abastecer e fazer pequenos lanches, chegamos por volta das 22h na entrada de Buenos Aires. Mais uns 40 km até chegar no centro a paisagem já era outra.

Resolvemos ficar pelo centro, pois seria melhor a locomoção do grupo. Por volta das 23h já estávamos acomodados no hotel e eu pendurado na internet.

Amanha será um dia cheio, pois ficaremos só amanha em Bs As, na quarta de manha seguiremos a caminho de Riveira.

Por hoje era isso, não tinha muito que falar pois só comemos poeira o tempo todo.

Daqui a pouco já estou de volta por aí..

Hoje é dia de colocar o pé na estrada e começar nossa viagem de volta a Porto Alegre.

O Marcelo acordou mais cedo para levar as mulheres para o aeroporto e eu aproveitei para dormir mais um pouco, afinal, temos 3000 km pela frente ainda.

Por volta das 9h o Marcelo retornou, aproveitei para tomar café e terminar de arrumar as ultimas coisas. Uma ultima consultada nos e-mails e no orkut, pois vai acabar minha barbada de internet no quarto :( daqui pra frente vai ser um problema conectar, o tempo será curto e temos muito chão pela frente. Até me deu vontade de ir de avião com os outros, é tão mais confortável.. mas como sou um expedicionário, vou enfrentar esses quilômetros que faltam!

Resolvemos voltar um pouco por Villa La Angostura e pegar o caminho de 7 Lagos, que é muito bonito. Isso nos acrescentou 150 km sendo 80 deles por uma estrada de chão batido, mas valeu a pena. Tiramos muitas fotos, o nosso fotografo profissional Marcelo fez boa fotos dos lagos.

Lembro de ter visto só 5 lagos, devo ter dormido um pedaço da viagem. Essa primeira parte foi bem cansativa, tínhamos pra rodar 400 km hoje e nos levou o dia todo.

Paramos em Chapelco, onde tínhamos programado de esquiar, ainda bem que cortamos esse passeio, pois não tinha mais neve na montanha, pra esquiar seria bem ruim. Depois de uma visita rápida a estação, descemos até a cidade de San Martin de Los Andes, onde o grupo aproveitou para fazer compras. Eu não achei nada demais para comprar. almoçamos por lá também.

Seguimos viagem em direção a Neuquén, achei que seria rápido, mas não foi. Chegamos na cidade perto das 23h, ainda fomos jantar uma parillada. Acabamos achando um hotel depois da meia noite. O hotel era uma bosta, mas estávamos todos cansados e acabamos ficando com esse mesmo.

Amanha o negocio é acordar cedo e tomar até Buenos Aires, 1200 km!

publiquei as fotos do caminho de 7 lagos.

Hoje quase perdi o café, de tão tarde que eu acordei. Como não ia esquiar, nem me preocupei em levantar. Cheguei no ultimo segundo para tomar café, assim como todos os outros. O Mano e a Fabrícia já estavam nos esperando para sair, os tarados do esqui iam fazer sua saideira da temporada (Mimi, Marcelo, Sandro, Fabrícia e Mano) e os demais vamos fazer passeios por Bariloche.

Combinamos de antes do pessoal ir esquiar, de passar no Cerro Campanário, que é um mirante onde se considera uma das melhores vistas de Bariloche, a mais de 1000m, o único problema é que o teleférico que levava para cima era aberto e essa hora da manha estava muitoooo frio. Mas a vista vale a pena, fizemos as tradicionais fotos, o nosso fotografo Marcelo tirou belas fotos e depois de alguns minutos, voltamos pois o pessoal estava louco para esquiar.

De lá, fomos conhecer o hotel Llao Llao, o melhor hotel da Argentina. Como estávamos ali já, acabamos almoçando por lá mesmo. Na verdade só pode frequentar os restaurantes do hotel quem for hospede ou fazer reserva com antecedência, mas com uma conversa acabaram deixando a gente almoçar.

Nosso almoço estava bom, o preço era um pouco salgado, mas valeu a pena. Tiramos algumas fotos de dentro do hotel, é um luxo mesmo. Os preços em alta temporada chegam a 400 dólares por um quarto simples. No hotel tem tudo, desde Spa, campo de golf, aulas de tango. Para vir acompanhado deve ser excelente.

Seguimos nossa mini viagem em direção a Villa Suíça, que ficava a poucos quilômetros do hotel. Esperávamos algo muito melhor, na verdade é meia dúzia de lojinhas vendendo porcarias e nada demais, pegamos o carro e fomos embora.

Nossa próxima parada era o centro de Bariloche, no caminho ainda paramos para ver uma criação de truta, nem me prestei a sair do carro. No centro o pessoal fez compras na Mamuschka e depois tomamos um capuccino noutro lugar. Eu estava caindo de sono, então voltamos para as cabanas e decidir onde será nossa ultima janta em Bariloche.

Acabamos indo jantar no La Marmite de novo, onze pessoas é um grupo meio grande para jantar e por isso sempre demora pra conseguir mesa. Meia hora depois estávamos sentados fazendo os pedidos. Eu comi um tradicional bife de chorizo com arroz, estava bem bom, o único problema é que todas comidas vem com pouco sal. Ficamos batendo papo por horas, aos poucos o sono ia batendo e pedimos a conta e fomos pra casa.

Hoje deveria arrumar as minhas malas, mas vou deixar isso pra amanha, enquanto o Marcelo leva as esposas no aeroporto. A parte triste de sair de Bariloche é que vou perder o conforto da minha internet no quarto :(. Já tinha me acostumado em voltar da montanha e a internet estar ali, ao meu lado. humpft!

Amanha colocamos o pé na estrada em direção a Neuquen, são uns 400 km, uma parte dele vamos curtinho pois é o caminho dos 7 lagos, vamos parando para tirar algumas fotos. Resolvemos cortar o esquiar amanha em Chapelco para passar um dia a mais de compras em Buenos Aires.

No mais é isso, estou bem perdido com os dias da semana, mas sei que logo estou de volta a minha rotina aí no Brasil, diria que estou com saudades de trabalhar.. e também de ganhar dos meus amigos no Paddle.

Estou cheio de roupa suja que tentei lavar aqui em Bariloche, mas vou levar elas de recordação pro meu Pai que adooooora lavar roupas!

vou dormir pois tenho horrores de roupas pra arrumar amanha.

Ski day!!

Hoje será um dia diferente, é o encerramento da minha temporada de estréia no ski. Portanto, irei esquiar o máximo possível que as minhas pernas deixarem. Levantei cedinho (nem tanto assim), tomamos café, carregamos a camionete e partimos em direção a Cerro Catedral.

Aquela tradicional demora para comprar os passes, aí que surgiu algo bem engraçado, quando estava comprando os passes junto com o pessoal, a moça simpática do caixa disse: – Tu vai esquiar mesmo? e eu sem entender a piada disse que sim, e entreguei o meu cartão de credito mini, o Marcelo de brincadeira disse que era falso, e depois que era tudo proporcional, aí caíram todos na risada e a mulher disse: Então assina, coloca o documento e o teu “telefone”. Nunca tinha recebido uma cantada de uma atendente. funny

Para hoje, iria esquiar no mesmo lugar da outra vez, que eu achei bem bom para praticar, uma pista azul com dois níveis de dificuldade. Passei praticamente o tempo todo ali, o meu limite diário eram 4 descidas da montanha e eu já estava morto, como era meu ultimo dia, me puxei e consegui descer 6 vezes.. quase morri!

Depois disso, o Marcelo nos passou um rádio dizendo que no bar 1600 estavam fazendo degustação de champagne, resolvemos ir pra lá e aproveitar para almoçar. Pra nossa surpresa, quando chegamos já tinha acabado a degustação :(. Fizemos um almoço rápido, pois queríamos descer mais algumas vezes, mas infelizmente as perninhas não agüentavam mais.

As pistas aqui em Cerro Catedral já estão ficando complicadas, desde quando a gente chegou não nevou mais, e com o calor que faz durante o dia a neve esta se derretendo por completo, já algumas áreas não dá mais pra esquiar e outras já esta aparecendo a terra. Como já estava acabando a minha temporada, isso não é problema meu.

Um fato interessante que esqueci de contar é que esses dias o pessoal da nossa trip foi filmado pela Band, o Adriano, Portela e João falaram sobre nossa expedição e disseram que vai aparecer no Brasil essa matéria! E hoje foi vez da Mimi dar uma entrevista pro Discovery Channel, estamos ficando muito famosos.

Depois de muito esquiar, combinamos de nos encontrar no carro as 17h, pois iriamos até o Cerro Campanari tirar algumas fotos, mas devido ao tempo nublado resolvemos deixar para amanha. Somente hoje, no ultimo dia de esqui descobri que posso ir esquiando até o carro.. e eu sofrendo todos os dias para caminhar com aquelas botas.

Acabamos chegando cedo em casa, a idéia era tomar um banho e ir ao centro passear, mas não foi o que aconteceu. No fim começamos a beber um vinho, comer uns queijinhos, abrimos uma champagne, uma vodka, um whisky e momentos depois a festa estava rolando. Estava muito divertido.. No fim, nem consegui enviar o diário por motivos de força maior.

Dormimos cedo, amanha vamos procurar algum passeio pra fazer.

Acordar cedo e viajar, já tinha esquecido o que era isso. saco!

Well, 8h da madrugada toca o maldito despertador, hoje era dia de esquiarem Cerro Bayo, que fica em Villa La Angostura, um vilarejo que passamos no caminho de Bariloche. A cidade tem apenas 15.000 habitantes e dizem ser um reduto dos magnatas argentinos, eu pra falar a verdade não vi nada de riquezas aqui.

Acabamos chegando na estação por volta do meio dia, eu levei todo meu equipamento mas não sabia se ia esquiar, ontem consegui detonar o meu pé numa pista vermelha mas como na hora podia ficar bom acabei tentando. Não teve jeito, preferi descansar hoje para poder esquiar amanha.

Passei a tarde com a Lúcia, que também preferiu ficar descansando. Ficamos num bar no alto da montanha, comendo e bebendo. A vista lá de cima é muito bonita, o Marcelo pra variar, tirou belas fotos (que já estão no álbum). No fim a tarde passou bem rápido. Queria muito ter esquiado, as pistas pareciam ser bem boas.

Depois disso, recolhemos os equipamentos pois queríamos conhecer o centro de VillaLa Angostura, e tirar algumas fotos no por do sol no puerto. A cidade é bem pequena e com pouquíssima estrutura básica. No puerto tiramos algumas fotos e logo nos recolhemos, pois estava esfriando.

Fomos fazer um after-ski num barzinho no centro de VillaLa Angostura, onde já estavam nos esperando a Fabrícia e o Mano. Ficamos por ali mais um tempinho, bebemos algumas cervejas e como a fome estava violenta resolvemos voltar para Bariloche e jantar por aqui, pois lá os restaurantes só abriam depois das 20h.

Antes de ir embora, passeamos nas lojinhas. Não tinha nada demais, só ó Sandro, maníaco compulsivo por compras conseguiu comprar algo.

A volta foi tranquila, 80 km não é nada pra quem já rodou mais de 4500 km nessa expedição. Íamos jantar no Bolicho del Alberto, mas ao chegar lá e ver a fila de espera o grupo acabou se dividindo, Eu, Marcelo, Mimi, João e Lúcia resolvemos ir pra casa e pedir alguma tele-entrega, os demais resolveram enfrentar a fila.

No lado da nossa cabana tinha um restaurante, que foi onde acabamos jantando. Fizemos uma janta rápida pois todos estavam muito cansados e eu, com saudades da internet.

Estou com um grande problema, minhas cuecas estão acabando, juntamente com as minhas meias. Tenho duas escolhas: Ou compro mais cuecas ou mando lavar, acho que a primeira opção é mais simples. Isso eu resolvo no sábado, ainda tenho duas sobrando.

Fico me enrolando para enviar os diários pois gosto de mandar com as fotos do dia, por isso que ele sempre chega com certo atraso. Vou tentar mudar a logística para ele chegar antes.

Bom, acho que por hoje era isso.. estou caindo de sono aqui na frente do computador e amanha será um dia de muito trabalho. Vida de esquiador não é fácil. Hoje faltam apenas 6 dias para o fim da expedição Andes 2006, teremos mais três dias de esqui pela frente e depois mais de 3000km de volta para casa. Estamos estudando como será nosso retorno, pois alguns querem passar mais tempo em Buenos Aires, mas isso será decidido na nossa reunião amanhã.

Espero que estejam todos bem por aí, pois aqui esta tudo bem!

Hoje temos mais um dia de esqui intenso pela frente.

A cada dia de esqui, parece que fico mais cansado. Mas por outro lado, sinto uma melhora relevante na minha técnica. Após a rotina do café da manha, colocamos os equipamentos de esqui na camionete e fomos pra montanha. O trecho do carro é a montanha é muito doloroso pra mim, caminhar com aquelas botas é um inferno, são muito apertadas e desconfortáveis, mas, tudo pelo esporte.

A Mimi e o Marcelo escolheram uma pista para eu ficar treinando, era uma pista azul bem no alto da montanha, achei que ia ser uma roubada mas adorei a pista, tinha uma inclinação boa e o transfer era perto, logo não precisava fazer muito esforço pra esquiar.

Aproveitamos essa pista para fazer algumas filmagens pro nosso DVD, eu consegui esquiar bem até, alias, todos estamos esquiando bem. A cada dia, estou conseguindo ficar mais tempo na pista, acho que estou me acostumando com as botas. Por volta das 14h30 fizemos uma pausa para o almoço, que sempre é muito divertido, pois os bares da montanha sempre têm muita agitação e bagunça.

Após essa pausa, voltei para a pista, mas algo de estranho tinha acontecido.. Parece que eu esfriei e não tinha mais controle sobre meus esquis, levei uma hora para chegar na base da montanha e caí diversos tombos, no final que eu fui ver que peguei o caminho errado e acabei descendo pela uma pista vermelha.

Depois de muito custo, já na base, me deitei num banco e dormi, de tão cansado que eu estava. Logo depois o resto do pessoal chegou no nosso tradicional ponto de encontro e fomos embora. Consegui dar uma reforçada no meu bronzeado!

Hoje é aniversário do João, e a comemoração vai ser no Restaurante El Patacon, segundo as revistas, é um dos melhores de Bariloche onde inclusive Bill Clinton já jantou. Depois de toda movimentação para tomar banho, chegamos no restaurante as 21h30 onde nossa reserva era para as 22h.

Ficamos tomando uns drinks e curtindo o lugar, é enorme e muito bem decorado. Aproveitamos para fazer muitas fotos com um fotografo do restaurante, que no final gravou um cd com todas as fotos. Estávamos todos reunidos menos nosso expedicionário Raul que teve que retornar ao trabalho.

A comida estava muito boa, o vinho e as conversas também, ficamos até depois da meia noite no restaurante. Fomos os últimos a sair, aproveitamos bastante. Vou publicar as fotos do aniversário no álbum de Bariloche.

Depois disso só restava uma cama pois amanha iremos esquiarem Cerro Bayo, que fica em Villa La Angostura.