Mendoza 2016

Levantamos as 7h para conseguir fazer tudo, já tínhamos deixado tudo meio pronto para não dar correria de manhã. Estávamos no café as 7h30 e as 8h prontos esperando os táxis. O nosso atrasou quase 15 minutos.

No aeroporto fizemos o checkin e despachamos as malas, consegui passar com 5kg de excedente sem problemas. O Joselito conseguiu perder o papel da imigração e teve que fazer uma segunda via antes de embarcar.

Passamos pelo freeshop, os guris compraram mais um monte de vinho e porcarias em geral. Sorte que não teve outra pesagem na hora do embarque. O voo atrasou 20 minutos e chegamos em Porto Alegre 12:30.

Melhor almoço: Siete Fuegos
Melhor bodega: Salentein
Melhor degustação: Cobos
Melhor janta: Brandon
Melhor vinho: Cobos Malbec

IMG_3845

Consegui dormir bastante, como não tínhamos compromisso cedo e o café ia até as 11h deixamos para acordar mais tarde. O café aqui do hotel é bem bom e ainda o chef é Irlandês e por isso tem Irish Breakfast, é lógico que eu comi isso.

Nosso plano era caminhar pelas ruas de Palermo SOHO, começamos por uma feirinha que tem mas era só de artesanato, andamos mais um pouco até um café que o Adriano conhecia e paramos para tomar um café e sucos.

Como estávamos estufados pelo café, continuamos caminhando e olhando as lojinhas. Apesar de ser domingo, quase todas as lojas estavam abertas.

Depois do meio dia fomos procurar um restaurante para almoçar, o Joselito tinha uma sugestão mas quando chegamos na frente do lugar ele já tinha mudado de nome/dono. Fomos para uma sugestão do Adriano, a parrilla Don Julio, que também fica nessas redondezas.

Apesar do horário avançado, tinha uma fila de espera enorme mas decidimos ficar e almoçar nas mesas de fora, estava um pouco frio mas tinha uma calefação. As carnes e os vinhos estavam excelente, tomamos um Riglo Gran Malbec 2013 e duas garrafas de Sophenia Synthesis Malbec 2013, dois vinhaços.

Nossa ideia era passear em Puerto Madero mas acabamos ficando por Palermo mesmo, caminhamos pelas ruas, paramos em uma sorveteria/café para uma sobremesa e fumar um charuto.

Voltamos para o hotel para descansar um pouco, aproveitamos para ajeitar as malas e decidir sobre a janta. Tínhamos uma reserva no Osaka mas o pessoal preferiu ir num lugar mais descontraído e acabamos na indicação de ontem, no restaurante Brandon.

O lugar era bem legal e diferente de ontem estava bem vazio. A comida parecia ser boa mas acho que fiz o pedido errado, comi um hambúrguer que não gostei muito, os outros pediram um prato thai e saladas. Para beber hoje fomos de cervejas artesanais, todas muito boas.

Não nos estendemos muito pois tínhamos que acordar bem cedo amanhã.

Posso dizer que consegui descansar bastante essa noite, nosso compromisso era somente as 10h30. Deu para tomar café tranquilo, fazer as malas e o checkout.

A primeira vinícola do dia foi a Zuccardi, no Valle Maipu. Acredito que deixamos pouco tempo para essa vinícola e tivemos que fazer meia visita e sem degustação. De qualquer forma já sabíamos que a degustação não era grande coisa tendo em vista que só colocam os vinhos de entrada.

Logo depois do meio dia partimos para a última vinícola da nossa viagem, a bodega El Enemigo. Ela fica no mesmo valle porem na outra extremidade, levou uns 40 minutos.

Essa bodega é do enólogo chefe da Catena Zapata onde teve vários vinho premiados. É uma bodega bem pequena, produz mais ou menos 3000 garrafas de cada linha.

Chegamos já na hora da nossa reserva e como tínhamos tempo contado, fomos direto almoçar. Era um menu com 4 pratos, sendo uma entrada com queijos, salames e pequenos molhos, depois veio alguns pães com azeite e empanadas. O prato principal tinha 5 opções, acabei ficando com o bife de chorizo com batatas e de sobremesa provei uma panqueca de doce de leite.

O ponto alto do almoço foram a degustação, escolhemos a dos vinhos top, Gran Enemigo. Provamos três tipos dessa linha, todos excelentes, cada um com suas particularidades porem um melhor que o outro. Quem nos recebeu durante o almoço foi o dono da bodega, o Alejandro Vigil. Ele falou um pouco sobre a visita e nos presenteou com um vinho onde a vinha tem mais de 100 anos, excelente vinho.

Como precisávamos chegar cedo no aeroporto, acabamos acertando com o Leo para nos deixar lá, ele parou no hotel para a gente pegar as malas e logo fomos para o aeroporto.

Decidimos chegar mais cedo pois poderíamos ter problemas com as bagagens, e tivemos. Deu excesso na minha e quase da maioria. Eu consegui remanejar para não pagar excesso mas o Rota teve que pagar. Ficamos aguardando na sala de embarque assistindo o jogo do brasil.

O avião que pegamos era muito bom, tinha tv e um pouco mais de espaço, fiquei assistindo um programa sob o taj majal e quando vi já estávamos chegando.

Nossas bagagens vieram rápido e pegamos três táxis para ir no hotel. O interessante foi a diferença de valor entre os táxis, de 105 pesos até 200.

O hotel é muito legal, fica em Palermo Hollywood e se chama Fierro, tem um restaurante Irlandês junto. Deixamos as malas e fomos para o quarto do Vasco tomar um vinho e decidir o que faríamos da noite.

Pegamos umas dicas no desk porem todos os lugares estavam lotados e com fila de espera. Continuamos caminhando e achamos um bar da Peugeot e lá conseguimos uma mesa para o nosso jantar. Como não estávamos com muita fome, escolhemos diversas entradas que nos serviu de janta.

Voltamos caminhando para o hotel, o clima estava bem agradável, um friozinho europeu bem bom.

Mais um dia acordando muito cedo, espero que seja o último dessas férias. Tive que tomar café rápido pois acabei me atrasando para descer.

Nossa van já estava nos esperando mas como tinha vindo outro motorista acabamos nos atrasando para sair. Nossa destino de hoje era o Valle do Uco, um lugar mais afastado aqui de Mendoza mais ou menos 1h30.

A vinícola que fomos visitar foi a Salentin, acho que foi a mais bonita que eu vi. Uma arquitetura toda preparada para ter a melhor condição de temperatura e umidade para os vinhos.

Degustamos toda a linha de vinhos, conhecemos alguns muito bons e acabamos comprando duas caixas de vinho. No wine bar, nos serviram a linha premium, com destaque para um Merlot 2006 e um Chardonay.

Perto do meio dia fizemos uma mudança drástica no nosso cronograma, trocamos a visita na bodega O’fournier para ir no restaurante do Francis Mallmann, aqui no Valle do Uco.

O lugar é impressionante, é um hotel spa, com cabanas privativas com vista para as cordilheiras. O restaurante se chama Siete Fuegos e tem esse nome por causa das sete formas de trabalhar com o fogo. Tem desde um fogo de chão para um caldeirão até as tradicionais parrillas.

De couvert, estavam servindo uns pães maravilhosos feitos no forno a lenha. Eram três variedades um melhor que o outro. Depois serviram outro tipo de pão com hummus com bastante alho.

De entrada pedimos uma pêra com burrata, empanadas de carne e cogumelos com casca de limão siciliano que estavam excelentes. De prato principal, comi um nhoque com lagostin e molho vermelho. Para harmonizar, bebemos um Altavista Blend que estava perfeito, acabamos repetindo a garrafa.

A sobremesa e o cafezinho pedimos na área externa, de frente para as montanhas. Aproveitamos para fumar uns charutos e curtir um pouco a paisagem.

Retornamos para Mendoza cedo, conseguimos aproveitar para passear de dia, fomos numa wine store e depois fomos no calçadão. Os cafés estavam bem vazios para uma sexta feira com tempo agradável. Paramos num café ao lado do hotel e enquanto o Joselito e o Vasco tomavam um café, eu e o Rota tomamos uma cerveja.

Fizemos uma reserva num restaurante italiano também perto do nosso hotel as 22h e por isso conseguimos descansar um pouco antes da janta. O lugar se chamava Francesco, e tinha uma adega bem grande e com excelentes vinhos.

Escolhemos para o jantar um Zeta, da Zuccardi, um Apartato Gran Blend 2011, um Grand Enemigo Cabernet Franc 2010 e o grande vinho da noite, um Bressia Conjuro Tinto 2003. Foi até agora a melhor seleção de vinhos.

Para comer, pedimos uma lula empanada de entrada e o prato principal foi um trio de massas que estava excelente. Ficamos até depois da meia noite no restaurante, depois ficamos na frente do hotel fumando um charuto.

Eu estava muito cansado e vim mais cedo para dormir.

Foi difícil acordar hoje, o despertador tocou e eu precisava dormir um pouco mais mas não deu. Me arrumei e desci para o café já um pouco queimado, comi algo rápido e nossa van já estava nos aguardando.

A van é muito legal, tem uma adega junto e uma guia turística/sommelier. Nossa primeira parada foi na vinícola Cobos, lá fizemos uma degustação dos vinhos Bramari, com 5 variedades e também do principal vinho da casa, o Cobos Malbec.

Fizemos junto uma visita guiada pelas instalações, conhecemos um pouco do processo de fabricação deles, que tem um modelo de negócio um pouco diferente dos demais que é um processo de cooperados. O pessoal aproveitou para comprar muitos vinhos.

De lá partimos para a próxima parada que foi na Chandon. Lá almoçamos um menu degustação bem bom e bebemos diversos tipos de espumante. Aproveitamos os jardins estilo francês para fumar uns charutos.

Pegamos a estrada para a última vinícola do dia, a Catena Zapata. Lá conhecemos rapidamente e aproveitamos para degustar uma Angélica Zapata Cabernet Frank. Espetacular.

Já cansados de muito beber voltamos para o hotel e eu tinha duas alternativas, uma era dormir um pouco ou sair para caminhar com o Rota e o Vasco, confesso que eu queria muito dormir mas acabei indo caminhar. Andamos por 8km, fomos até um parque muito grande que tem aqui, é bem legal, tinha até campo de golf.

Na volta só deu tempo para tomar banho e já saímos para a nossa janta, fizemos uma reserva no restaurante Azafran, que fica aqui perto do hotel e é muito premiado.

Queríamos ter reservado a mesa que tem dentro da adega mas dizia estar reservada já. O restaurante tem uma adega bem boa, com muita variedade de vinhos de todos os estilos.

Eu pedi um sorrentino recheado de cabrito com um molho balsâmico bem interessante. De entrada veio um camembert recheado muito bom. Tomamos vinhos excelentes com destaque para o Cobos e o Benegas Lynch.

Nossa ideia na volta era passar num bar que tem aqui perto do hotel mas só abria as uma e meia da noite. Desistimos.

Encerramos a noite no bar do hotel tomando um Gran Enemigo cabernet frank, excelente vinho, vamos visitar essa vinícola também.

Tinha esquecido como era estressante tirar férias, mesmo que seja poucos dias. A parte interessante é que cheguei antes do horário, estou acreditando que quem se atrasa é a Grazi.

Nosso primeiro trecho até Buenos Aires tinha impressão que seria mais rápido mas como era início de viagem foi tranquilo. Chegamos lá e como tínhamos bastante tempo até o próximo voo aproveitamos para almoçar e fazer um câmbio.

Embarcamos novamente para Mendoza as 17:20 e chegamos antes das 19h. O aeroporto estava em reforma, em setembro o aeroporto vai fechar por três meses para reforma geral.

Pegamos um taxi para o nosso hotel e na hora do checkin fomos recebidos com uma taça de vinho de boas-vindas. O hotel é excelente e bem localizado, a concierge é muito eficiente.

Fizemos uma reserva num restaurante que estivemos em 2006, a Parrilla Don Mario. Pedimos diversos cortes de carne e degustamos alguns vinhos interessantes. A surpresa da noite foi um vinho de boutique que surpreendeu. Provamos também um cabernet frank e um vinho de guarda.

Na volta para o hotel, ficamos no deck bebendo vinho e degustando alguns charutos cubanos. Acabamos nos estendendo até depois da uma da manhã.

Nossa concierge do Hyatt Mendoza vez todas nossas reservas nas vinícolas e ficou assim:

Jueves, 18 de agosto

Tour: Lujan de Cuyo
Horario sugerido de salida del hotel: 08:30am
1.Bodega: 9:30hs – Viña Cobos
2.Bodega: 12:30hs – Chandon con almuerzo
3.Bodega: 15:00hs – Catena Zapata ok Tatiana (Visita Nicolas Catena)

 

Viernes, 19 de agosto

Tour: Valle de Uco
Horario sugerido de salida del hotel: 8:30am
1.Bodega: 10:00hs – Salentein
2.Bodega: 14:00hs – OFournier con almuerzo

 

Sábado, 20 de agosto

Tour: Maipu
Horario sugerido de salida del hotel: 10:00am
1.Bodega: 11:00 – Zuccardi
2.Bodega: 13:00 – El Enemigo con almuerzo

E já fechamos com a nossa van com direito a adega abordo.

Viagem

Fazia tempo que não planejava uma viagem e esta será um pouco diferente. Iremos com alguns integrantes do G8 Gourmet visitar vinícolas em Mendoza, na Argentina.

Serão 5 dias de viagem, sendo 3 em Mendoza e 2 em Buenos Aires. Agora só faltar montar o cronograma de lugares a visitar.

Rutas_dos_vinhos_do_Valley_de_Uco