Natal 2011

Foi difícil, mas acordamos as 2h15 da manha, realmente isso não é nada bom quando se esta de ferias. Finalizamos as malas e partimos em direção ao aeroporto, deixei o carro conforme o cara disse, no estacionamento com a chave em baixo do banco e fomos fazer nosso check-in.

O aeroporto estava bem movimentado pelo horário e dessa vez nem nos chamaram no microfone. Aproveitamos antes para tomar um café e já fomos para área de embarque.

O avião partiu lotado na hora prevista, nossa escala é em Brasília e ate lá levou pouco mais de 3h. Fui dormindo alguma parte do tempo, mas no avião é muito desconfortável.

Chegamos em Brasília por volta das 6h40 e ficamos ate as 9h50 passeando e no computador, tomamos mais um café. O Vôo atrasou 25 min., mas acabou chegando no horário pois ele deve ter acelerado mais no vôo para compensar esse atraso. Já em Porto Alegre a Tati estava nos esperando, passamos na retifica e fomos pra casa dormir.

Ficou ainda para uma próxima vez conhecer a lagoa da coca-cola, a parte histórica de natal, passar uns 2 dias em Pipa, tirar uma foto da ponte de noite, comprar um burro de cuia, comer de novo no Mangai, fazer uma aula de surf e conhecer o São Miguel do Gostoso.

Top travel
Melhor praia: Praia da Pipa

Melhor janta: Camarões

Melhor caipirinha: paçoca de pilão

Melhor passeio: buggy com emoção

Melhor almoço: Paçoca de Pilão

Melhor dia: sábado

Melhor paisagem: Chapadão, Pipa

O dia começou bem cedo, 7h45 já estava de pé mas a parte ruim é que amanheceu muito nublado. Tomei café e o sol começou a aparecer.

A Grazi ficou trabalhando e eu fui dormir. La pelas 11h30 ela terminou e então saímos para fazer um passeio. A primeira parada foi a praia dos artistas, legal o lugar, com uma piscina natural mas tem muita sujeira e pessoas oferecendo lugar na areia, acabamos nem parando e seguimos para o Forte.

Chegando no forte, que fica próximo a praia dos artistas e ao lado do rio XXXX, pagamos R$3,00 cada para poder entrar no forte. Tinha bastante gente visitando pois chegou alguns ônibus da CVC.
No caminho até o forte, apareceram diversos golfinhos e cardumes de peixes.

Dentro do forte é bem interessante, o mais legal que eu já vi mas parece ter sido modificado/reformado mas ainda da pra ter uma noção de como era usando antigamente.

Não ficamos muito por lá pois queríamos almoçar e aproveitar o sol ainda. Pegamos uma sugestão de almoço lá no forte mesmo, chamava-se farofa d’água e ficava próximo do nosso hotel.

Pedimos um file ao molho madeira com batatas noisetes e um arroz que parecia um risoto, nada de muito especial mas estava bom.
Pegamos o carro e fomos para o hotel deixar as coisas e aproveitar o sol na piscina. Ficamos bastante tempo no sol, pena que estava meio nublado mas deu pra pegar uma corzinha.

Mais no final da tarde saímos para caminhar na beira da praia, tomamos banho de mar e pegamos uma caipirinha para beber na piscina, foi nossa despedida dela..

Depois de escurecer, fomos tomar banho e nos arrumar para jantar. Nossa janta foi no Mangai, um restaurante nordestino excelente.. Tem o maior Buffet que eu já vi, mais de 120 variedades de pratos quentes. Provamos varias coisas diferentes.. Cartola (banana com chocolate, açúcar, queijo, canela), Sovaco de cobra, Carne de sol com nata, Queijo coalho, Queijo de manteiga, omelete de carne, paçoca de pilão entre outros pratos deliciosos.. ainda arranjei espaço para provar umas sobremesas. Os garçons estão vestidos como cangaceiros e o restaurante te um estilo rústico decorado com bananas e com um lago cheio de salmões. Aproveitamos para comprar um queijo de manteiga pra Grazi fazer uma Cartola.

Saindo de lá, passamos num artesanato para comprar umas porcarias de recordação e voltamos para o hotel, tínhamos que arrumar as malas e dormir um pouco, pois precisávamos acordar muito cedo para ir ao aeroporto.

Hoje sim acordamos cedo, 7h despertou e logo levantamos e começamos a nos arrumar. Tomamos café e pegamos a estrada.

Seguimos em direção a BR 101 sul. Ate a praia da Pipa eram pouco mais que 70 km e logo na entrada aproveitamos uma van para seguir, assim parávamos nos pontos turísticos.

Já em pipa, fomos ate a beira da praia para conhecer o mar, é bem diferente o visual aqui. Fomos direto para a praia do amor, que fica ao lado da praia de pipa e se chama assim por ter um formato de coração.

Lá conhecemos um guia chamado Jose que nos ofereceu um passeio de lancha pelas praias próximas com visita a baia dos golfinhos com direito a ver eles e como queríamos dar olha olhada geral acabamos fechando o passeio.

Junto com a gente foi outro casal de passo fundo mas que morar no interior de mato grosso, o Gustavo e a esposa que fecharam o pacote junto com a gente.

O passeio em si foi meio sem graça, mas conseguimos ver os golfinhos, não tão de perto mas valeu.

Na saída tínhamos combinado com o guia um passeio para as praias do sul de pipa. Começamos pelo Chapadão onde ele nos contou uma historia que teve uma vez uma rave em cima desse morro e um Frances locão de chapado se aturou lá de cima e acabou caindo em cima de arvores e não se matou mas esta ate hoje de cadeiras de roda.

Seguimos nossa viagem por cima desses morros a beira mar em direção de Sibauma onde atravessamos com uma pequena balsa. Do outro lado fica a Barra do Cunhaú, onde tem piscinas naturais mas acabamos nem entrando pois estávamos morrendo de fome e queríamos ir almoçar.

A sugestão de almoço foi do guia, dizendo ser um dos melhores restaurantes da região. Se chamava Restaurante Sol e Mar. Onde almoçamos junto com os outros gaúchos e o guia. Eu e o Gustavo dividimos um file a parmeggiana e a Grazi e a XXX dividiram um camarão ao molho de tomate que disseram estar bem bom.

Retornamos nosso passeio em direção ao sul onde tivemos que atravessar o Rio Cunhaú de balsa,  essa já era mais moderna, mas custou 13,00. Na saída conseguimos atolar o carro, mas como tinha bastante gente pra empurrar ficou fácil.

Nossa ultima parada era a Baia Formosa e para chegar ate lá cruzamos a fazenda estrela, uma grande área de plantação de coco onde o dono é um japonês que comprou essa área toda, para essa travessia pagamos 5,00 por carro.

Chegando em baia formosa o lugar é muito bonito e tem uma vista sensacional e a praia parece ser muito legal, mas acabamos nem descendo até lá. Nossa idéia era pegar um bugue para visitar a lagoa da coca-cola mas não tinha nenhum buggueiro, acho que era domingo e não tinha nenhum ônibus de excursão chegando. De qualquer forma não fizemos nenhum esforço para ir.

Fomos em direção a BR para voltar ate pipa e deixar o outro casal na BR em direção a João Pessoa. Nossa volta até pipa levou quase uma hora e já estava começando a escurecer.

Estacionamos o carro e fomos tomar um café com tapioca. Nos recomendaram a Tapiocaria, na rua do céu. O lugar era bem ajeitadinho, era um comercio residencial mas a Grazi gostou muito da tapioca. A dona do restaurante trouxe uns álbuns de foto do marido dela que é fotógrafo-guia-músico-desenhista. As fotos são muito bonitas e bem tiradas.

Passeamos um pouco mais pelo centrinho de pipa, a Grazi comprou uma saída de praia e eu um copinho.

Pegamos a estrada as 18h e em menos de uma hora já estávamos de volta ao nosso hotel, então tomamos banho e saímos par jantar.

Como estávamos cansados da viagem, resolvemos comer aqui no Camarões e a pedida foi a salada primavera, a mesma salada q comemos na outra vez. Estava tudo muito bom.. Depois voltamos para o hotel pois a idéia é acordar cedo, pois será nosso ultimo dia aqui em Natal.

Acordamos relativamente cedo e estava caindo uma chuva que achávamos que não ia dar nem para sair do hotel, mas perto das 8h30 deu uma acalmada.

Tomamos café e ficamos no quarto aguardando o guia e o carro. O guia chegou 9h15 e ficamos aguardando o carro que só chegou as 10h.

No fim acabamos desistindo do guia pois ele começou a encher o saco dizendo que só íamos parar em dois pontos e que tinha que estar de volta as 13h, então dispensamos ele e fomos sozinhos.

Antes de iniciar a viagem, passamos no posto de gasolina. Aqui a gasolina custa 3,00 o litro 😮

Nossa primeira parada foi na base aérea Barreira do Inferno, que agora só serve para lançamento de sondas metrológicas. Tiramos algumas fotos com um foguete e um avião de guerra.

Seguimos nossa viagem em direção a praia do cotovelo, que na verdade é uma praia bem comum, não achamos nada de mais.

Próxima praia foi de Pirangi mas o forte aqui é o Maior Cajueiro do mundo. Pagamos 3 reais por pessoa para visitar e realmente é muito grande mesmo. Compramos uma lembrancinha no centrinho que tinha ali.

Saindo do cajueiro encontramos a única pessoa que conhecíamos em Natal, o João Camarão, que na volta de Noronha ele nos levou para o restaurante Terra do camarão e o pior é que ele lembrou de nos, isso é muita coincidência.

Uma pessoa tinha indicado para nos almoçar na Paçoca de Pilão, um restaurante indicado pelo guia 4 rodas e acabamos indo lá, pois era bem pertinho de onde estávamos.

O restaurante era bem bom, a Grazi pediu um escondidinho de camarão e eu pedi uma paçoca de pilão que a Grazi acabou comendo junto. A comida é tipicamente nordestina e achei bem bom, é uma carne seca desfiada e depois frita com cebola e manteiga, para acompanhar arroz, feijão verde, banana e macaxera. Tudo muito bom. Lá também tomamos uma caipirinha excelente, de repente a melhor de todas.

Saindo de lá fomos conhecer a praia de búzios, achamos bem grande a praia e com muitos condomínios residenciais, mas o mar era brabo por lá então resolvemos ir até o mirante dos golfinhos que não apareceu nenhum, o pessoal disse que a hora deles aparecerem era as 15h45, então vamos voltar mais tarde para tentar ver.

Seguimos nossa viagem ate a praia de Camurupim que uma pessoa recomendou, lá tinha um quebra-mar onde transforma numa enorme piscina natural, mas como estamos em baixa temporada não tinha muitas pessoas. Recebemos uma indicação para seguir a frente e conhecer a Pedra Oca, e fomos até lá.

Na verdade em baixo do quebra-mar se formou um buraco onde da para passar por baixo até chegar no mar, a maré já estava subindo mas conseguimos ver e tirar umas fotos.

A ultima parada de praias de hoje era na Lagoa da Arituba, que fica perto da praia de Tabatinga e por um caminho de chão batido chegamos ate lá. Tem uma infra estrutura montada com alguns bares, mesas, pedalinhos, caiaques e até um aerobunda, mas pareceu desativado. Ficamos um pouco ali e saímos para pegar o horário dos golfinhos.

Como era bem próximo, chegamos rápido até lá mas igual não vimos nada, de repente os golfinhos estou no horário errado. Cansamos de praias por hoje e resolvemos ir até o Midway Mall, o maior shopping de natal. Ligamos nosso GPS e foi fácil chegar.

A Grazi foi fazer as unhas e uma massagem relaxante e eu fiquei passeando no shopping por horas :)

Depois de muito passear, fomos para o hotel tomar banho e nos arrumar para jantar. Nossa idéia de jantar no Mangai foi transferido para segunda e hoje fomos no outro restaurante do Camarões Potiguar, na verdade tentamos o camarões que fomos o outro dia mas estava muito lotado então fomos nesse (que também estava lotado) mas ficamos na sala de espera comendo umas entradinhas e tomando um vinho.

Escolhemos um Filé ao molho Dijon, batata com catupiry e arroz com brócolis, estava excelente mas de novo foi muita comida. Depois fomos pro hotel, eu ganhei uma massagem relaxante e fomos dormir.

Acordei de novo bem cedo, mas isso só acontece quando estou de ferias.. Fui tomar café por volta das 8h, nos arrumamos e ficamos esperando o buggy.

Chegou pouco depois das 9h e saímos para buscar o outro casal.. No caminho faltou gasolina mas rapidamente conseguiu com um outro bugueiro. O outro casal era carioca e estavam numa praia meio longe do centro.

Iniciamos nosso passeio pelas praias depois da ponte, o primeiro ponto turístico foi a travessia de balsa em Redinha, o trecho é bem pequeno, uns 100mt e custava 4,50 por pessoa.. Tudo bem, vale para conhecer.

Passando por esse rio, fomos direto para as dunas de Genipabu, o caminho ate lá foi de muita emoção com o bugueiro.. Chegando lá fomos andar de dromedário, é bem divertido ate, mas ficamos com pena dos bichinhos, mas como eles usam de locomoção no deserto aqui até que é fichinha.

Depois de dar uma volta, pegamos o buggy e fomos para a próxima parada que foi em Pitangui, lá tinha um restaurante com as mesas dentro da lagoa onde os peixinhos ficavam passando entre os pés.. Bem divertido, comemos uns espetinhos de camarão e carne.

Próxima parada era pra fazer ski-bunda, primeiro foi a Grazi que desceu tão rápido que eu nem vi, peguei só no finalzinho. Depois foi a minha vez.. É bem legal, no final ele embala bastante antes de cair na piscina e encher a bunda de areia. A Grazi gostou tanto que foi de novo, queria descer sem se segurar, mas não conseguiu e dessa vez consegui fotografar.

Logo ao lado, tinha o aerobunda que a Grazi ficou com medo ou preguiça então fui por primeiro, é nem legal, é uma tirolesa com água. A descida foi bem rápida e lá em baixo já tinha uma embarcação esperando, ela leva ate a beira e um trenzinho com motor de carro nos leva ate em cima. Depois foi a vez da Grazi, aproveitei para fotografar a descida.

Partimos para nossa ultima para, na praia de  Muriú onde aproveitamos para almoçar. O restaurante era grande e caro, acabamos comendo um buffet que tinha ate picanha. Ficamos ate as. 15h e embarcamos em direção a ponta negra. A volta foi bem rápido, fomos pela beira da praia ate a balsa que já tinha quase secado, ficou só um trechinho com água.

Deixamos os cariocas no hotel e depois chegamos ao nosso hotel. Pensamos em ficar na piscina mas resolvemos conhecer o morro do careca, que fica no final de ponta negra. O caminho ate lá pela beira da praia pareceu ser mais perto, chegamos lá , tiramos algumas fotos e voltamos. No caminho, paramos para tomar um suco.

Já de volta ao hotel, fiquei um tempo na piscina e a Grazi ficou no computador. A piscina esta sempre quentinha, apesar de achar o mar mais quente.

Tomamos banho e decidimos sair para janta direto, para voltar cedo e nossa idéia era jantar no Camarões de novo, porem no caminho para o restaurante conhecemos o Mazzano, um restaurante e pizzaria que fica na mesma rua do camarões.

Começamos comendo umas entradinha que estavam excelentes e por mim só comeria aquilo, como já tínhamos pedido a pizza, tivemos que comer e eu diria que foi uma das melhores pizzas que comi.

Chegamos no hotel e ficamos vendo TV, a Grazi foi a primeira a dormir pois ela queria acordar cedo e eu fiquei digerindo a pizza por algum tempo.

Não acordamos cedo como queríamos. O sol chegou antes das 7h, mas mesmo assim não dei bola e continuei dormindo.

Ficamos na cama ate as 9h e só levantamos pois o café acaba as 10h. O café do hotel é muito bom, tem bastante variedades.

Depois fui para a beira da praia fazer algumas fotos e ficamos na internet resolvendo algumas coisas do escritório e depois aproveitamos a piscina.

Perto das 13h fomos procurar algum lugar para almoçar, então caminhamos pelo calçadão e paramos num restaurante que parecia ser bom. A Grazi comeu uma Paella e eu uma massa bolonhesa que estavam bem boas e para acompanhar, tomamos 3 caipirinhas.. Ficamos meio tontinhos.

Voltamos pela beira da praia e descobri que a água é mais quente que a da piscina.. Paramos também numa barraquinha de passeios e acabamos agendando um passeio de buggy para amanha, pois conversamos com um professor de surf (a Grazi vai fazer umas aulas) e ele disse que tem vários lugares que não tem como chegar de carro então resolvemos adiar o carro para sábado e aproveitar esse passeio amanha.

Depois disso voltamos para o hotel e ficamos na piscina ate o sol ir embora, pois queríamos caminhar sem o sol, acabei me queimando um pouco hoje.

Na volta piscina de novo e fomos pro banho, queríamos descansar um pouco antes da janta. Eu coloquei o despertador com o horário errado, tínhamos reservado as 20h30 e quando vimos já era 21h, nos arrumamos correndo para tentar não perder a reserva e deu tudo certo.

Nossa janta foi no Manary gastronomia e arte, que fica num hotel que faz parte do circuito roteiros do charme.

Nossos pedidos foram:

Ceviche do Mar, polvo, camarão, mexilhões e peixe freso marinados em azeite extra-virgem e perfume cítrico para a Grazi e um Über filé mignon com tarte de berinjela e tomates secos, molho de wasabi e azeite de ervas para mim.

Sobremesa foi uma torta de chocolate com calda quente acompanhado de sorvete de creme com farofa e hortelã.

O meu prato foi excelente e na medida, a Grazi também gostou bastante do dela.

Depois de muito comer, fomos para o hotel, a Grazi foi ver TV e eu fiquei no computador resolvendo uns problemas.

O inicio das ferias não foi muito bom pois alem de eu ter ido dormir as 3h da manha tive que acordar as 6h, logo, estou acabado.

A Grazi acabou acordando as 4h30 pois tinha trabalho para fazer antes de ir. Levantei as 6h15 me arrumei, juntamos as últimas coisas e descemos para procurar um taxi. Por muita coincidência ao abrirmos a porta apareceu um taxi.

Chegamos no aeroporto antes do horário sugerido, olha que isso é difícil, então despachamos as malas, fomos no banco sacar dinheiro e depois tomar um café de graça no Mcdonalds, alias, que milagre ganhar algo de graça do Mcdonalds.

Fomos para o check-in e então descobrimos que estávamos atrasados e logo em seguida chamaram o nosso nome pelo microfone como ultima chamada. Mas deu tudo certo.

1h20 até São Paulo, chegamos morrendo de fome e então procuramos algo para comer. Como o aeroporto é grande, as lojas ficam bem separadas, então as opções que tínhamos era pizza hit, Viena Express, um café e o Baked Potato que foi a nossa escolha.

Comemos um nhoque de quatro queijos e de bolonhesa, a Grazi aproveitou para fazer ligações e ver os emails e quando nos demos conta eram 10h30 e o nosso voo era 11h. Neste momento a Grazi nem tinha comido ainda, então comemos muito rápido e abandonamos mais da metade e saímos correndo para o nosso portão de embarque e novamente fomos os últimos a chegar.

Um caso engraçado aconteceu na entrada do checkin, onde uma mulher nos pediu para chamar uma pessoa, que depois descobrimos que era a irmã dela voltar para a entrada do checkin pois esqueceu as malas com ela e não podia entrar com todas as malas, no fim ela conseguiu passar e encontramos elas no avião.

O voo até natal durou 3 horas, e aproveitamos para dormir um pouco, algo que não foi muito difícil.

Chegando no aeroporto já deu para sentir o bafão da cidade, estava 33 graus. Pegamos um taxi que por 40 pilas nos deixou no hotel e ainda nos indicou uma locadora de carros bem baratinha que já agendamos um carro para sexta-feira.

O hotel é muito bom, novinho, com piscina, mas nada de muito espetacular, podia ser um pouco mais limpinho, mas deve ser o padrão daqui.

Acabamos só deixando as malas e logo fomos caminhar no calçadão, que passa bem nos fundos do nosso hotel. Estamos muito bem localizados aqui em Ponta Negra.

No caminho paramos para comer, a Grazi queria comer Tapioca com café mas acabou comendo um sanduíche com suco de clorofila e eu comi também um sanduíche com suco de abacaxi com hortelã e um açaí de sobremesa.

Na saída passeamos por perto, aproveitamos para passar no mercado para comprar algumas coisas e voltamos para o hotel.

Neste momento, a Grazi estava caindo de sono e resolveu dormir na beira da piscina, que alias estava bem vazio por aqui. Enquanto ela dormia um pouco, eu busquei o note e fiquei adiantando uns trabalhos de dentro da piscina. Depois de um tempo, convenci a Grazi para entrar junto.

Ficamos uns 30min mais na piscina e saímos para tomar banho e jantar. Nossa idéia era comer aqui no lado do hotel, que tem um restaurante que parecia ser bem bom, mas infelizmente estava lotado então o maitre nos sugeriu o Restaurante Camarões como o melhor restaurante de Natal. O grande problema aqui são as ladeiras, que tem por toda a parte, então depois de subir uma super ladeira chegamos no lugar.

Numa primeira impressão achamos ele bem bom. A Grazi pediu uma Salada primavera, com camarões, folhas verdes e cogumelos estava uma delicia e eu pedi um filé ao molho gorgonzola com massa fetutine mas confesso que não foi o melhor file que já comi.

Depois de muito comer, voltamos para casa e fomos dormir, eu já estava com muito sono, e também a idéia é acordar cedo amanha.