21
Abr

Aproveitamos o feriado em Porto Alegre para assistir este filme. Como todos os outros é bem exagerado mas bem legal.

A Grazi não quis investir no IMAX mas foi legal igual..

  • Velozes e Furiosos 7


[gallery]Minha ideia para hoje era acordar bem cedinho mas como ontem fiquei até tarde acordado dificultou um pouco hoje. Ontem reservei um carro para passearmos em Lucca e Siena.

Fomos na locadora tirar o nosso carro, um enorme 500 da fiat e olha que o carro é bom e anda bem, fiquei impressionado.

Começamos a viagem por Lucca, que foi indicação da Tati e até lá foi pouco menos de 80 quilômetros e deu nem uma hora de viagem. Mesmo indo pela auto estrada deu para ter uma ideia de como é bonito esta região da Toscana.

Em Lucca fomos direto para o centro histórico, que fica cercada por um muro alto por todos os lados com as ruas preservada desde o império romano. Passamos pela Chiesa di San Michele, uma igreja do século XIV e também por um pedaço dos 4km de muralha que separa o centro histórico do resto da cidade.

Como a nossa meta de hoje era Siena abandonamos Lucca para pegar a auto estrada de volta em direção de Firenze para chegar em Siena, nos perdemos na saída e tivemos que fazer uma volta a mais mas isso não atrapalhou o passeio.

No caminho muitos campos coloridos e enormes, pena que não podíamos parar para tirar fotos.

Chegamos facilmente em Siena com ajuda do GPS e fomos direto para o centro histórico que é patrimônio da humanidade pela UNESCO.

Tivemos que deixar o carro um pouco longe pois só carros autorizados podem circular pelos centros históricos da Itália. Fomos caminhando pelas ruas do século XIII bem preservadas e dava para ter uma ideia de como era a vida muitos anos atras.

A parte ruim de lá são as subidas e descidas que não são poucas. Como já eram quase três da tarde fomos procurar um lugar para almoçar e por coincidência caímos na Piazza del Campo, que é a praça principal de Siena, lá sentamos num restaurante e degustamos uma boa massa a carbonara (a minha terceira ou quarta desta viagem). Apesar do dia estar nublado, neste momento o tempo abriu e o sol tomou conta então a praça lotou de gente.

Depois do almoço saímos caminhando sem rumo, conhecemos a Catedral de Siena (Duomo di Siena), uma igreja de 1215 que é linda por fora, como estávamos com pouco tempo acabamos não entrando.

Fomos na casa da Santa Catarina, Praça do Mercado, Igreja de São Domingos, Palácio Público alem de muitas construções bem antigas.

Cansamos de tanto subir e descer e pouco antes de escurecer fomos embora, durante a tarde conseguimos passear bastante pelo centro de Siena.

Voltamos para Firenze e chegamos direto na locadora, no caminho tinha uns 10 postos de gasolina, um do lado do outro e todos self service e com o mesmo preço, tem coisas que não fazem sentido mesmo. Abastecemos o carro e deixamos no estacionamento da locadora.

Acabamos voltando pro hotel a pé, eram 2km e achamos que seria mais fácil que procurar um ônibus que nos deixasse no hotel. Aproveitamos para passar num mercado para comprar umas coisas que estavam faltando.

Hoje o dia foi bem cansativo tanto que nem vamos colocar o despertador amanha.

[gallery

  • DSC_0025
  • DSC_0035
  • DSC_0055
  • DSC_0061
  • DSC_0065
  • DSC_0072
  • DSC_0075
  • DSC_9988
  • DSC_9990
  • DSC_9991
  • DSC_9994
  • DSC_9996


Depois do tradicional churrasco de domingo, fomos levar o Nicolas no parquinho da redenção. Nem sabia que ainda existia esse parquinho que com certeza já passei por lá quando era pequeno.

O Nicolas só queria saber do Vô dele como companhia nos brinquedos, então só me restou fotografar..

  • DSC_9077
  • DSC_9088
  • DSC_9114
  • DSC_9126
  • DSC_9145
  • DSC_9158


Hoje foi os 15 anos da Nicole e eu fui o fotografo da festa. Tive alguns contra-tempos, no mais ficou legal até as fotos.

  • DSC_2595
  • DSC_2600
  • DSC_2660
  • DSC_2694
  • DSC_2779
  • DSC_2834
  • DSC_2846
  • DSC_2849
  • DSC_2858


Hoje emiti as passagens para o Rio. Consegui uma promoção boa que nem valeu a pena emitir de milhas.

Vamos na terça de manha e retornamos no sábado final da tarde. Vamos aproveitar para fazer um turismo no Rio :oje emiti as passagens para o Rio. Consegui uma promoção boa que nem valeu a pena emitir de milhas.

Vamos na terça de manha e retornamos no sábado final da tarde. Vamos aproveitar para fazer um turismo no Rio :)



Acordamos cedissimo pois marcamos um passeio para as 8h da manhã e queríamos tomar café da manha ainda. Mudei meus conceitos em relação ao Íbis, parece que pelo nordeste ele é muito melhor que no resto do pais. Mesmo não tendo muitas mordomias a estadia foi muito boa.

Fomos pro lugar marcado para saída da nossa jangada em direção as piscinas naturais na praia de Pajuçara, chegando no lugar o jangadeiro estava aguardando o outro casal que tinha confirmado ainda e que não apareceram.. acabamos saindo sozinho mas logo em seguida apareceu um casal de Foz do Iguaçu para nos acompanhar na viagem. A distancia das piscinas é de 2km só mas o ideal é ir em época de lua cheia pois a maré fica bem baixa e a água fica pelos joelhos, hoje estava pela cintura. Tentamos mergulhar de Snork mas a água não é tão transparente que pudéssemos enxergar muito, mas é só dar um pouco de pão que os peixinhos aparecem rapidinho. Ficamos por lá quase 2h e só voltamos pois a nossa companheira de jangada estava muito enjoada. A volta é bem mais rápida pois viemos a favor do vento.

Marcamos de ir de tarde pras praias do sul de Maceió com esse casal, mas no fim ela estava indisposta ainda e fomos só nós. Antes passamos no hotel, tomamos um banho, descansamos um pouco e fizemos as malas, precisávamos fazer check-out ao meio dia. Deixamos as malas no hotel e fomos procurar um lugar para almoçar e isso para nós é um grande problema pois a indecisão é algo.. Por muita sorte, achamos um restaurante excelente no bairro de Stella Maris que é o mesmo nome do restaurante. A propaganda parecia enganosa.. Sushi, Sashimi, Churrasco, Pratos quentes e saladas.. geralmente não é muito bom mas esse estava excelente. Comemos muito e fomos pegar a estrada para conhecer algumas praias do sul de Maceió.

A distancia até a ultima praia que vamos conhecer é de 50km e a primeira parada vai ser na Praia do Frances. Essa praia parece um pouco com a praia da Ferrugem em Santa Catarina, a única diferença é o marzão verde e quentinho. Tinha bastante gente, com som na praia, quiosques e toda infra-estrutura. Não ficamos muito por lá, o sol estava de rachar e eu como estava muito queimado estava sofrendo com o sol.

Seguimos depois para Barra de São Miguel, que mais parecia uma praia de luxo. Muitas casas grandes, com condomínios de luxo (Gafisa e Inpar construindo grandes condomínios) mas tinha pouca gente na praia. Cada casa tem uma saída exclusiva para praia. Nem circulamos muito por dentro da praia, queríamos passar na outra praia ainda e aqui escurece cedo.

Ultima parada na praia do Gunga mas acabamos nem indo para beira da praia, fomos no mirante da praia onde se pode ver muitos coqueiros, ouvi falar em 420.000 coqueiros, mas não confirmados. Todos esses coqueiros são de propriedade privada. A paisagem no caminho dessa praia é lindo, tem um rio que se junta com o mar alem de muita vegetação. Apenas tiramos algumas fotos e voltamos pois queríamos sair cedo de Maceió e ainda precisávamos fazer compras.

No retorno, nosso primeiro imprevisto de viagem.. Um super engarrafamento. Ficamos quase 2h horas e nem conseguimos ver o que aconteceu. De volta a Maceió, a Grazi estava louca para comer uma Tapioca com café, desejo atendido, pegamos as malas no hotel e fomos até uma feirinha de artesanato na orla. Da vontade de comprar tudo, mas precisamos comprar aos poucos para ter espaço pra tudo.

Nosso próximo destino é Porto de Galinhas, já em Pernambuco. Até lá pela orla é 280km, no caminho a viagem foi bem tranquila, pegamos varias pancadas de chuva mas chegamos rápido até. Por volta das 23h30 já estávamos na cidade. Hotel era um pouco complicado, pois as pousadas menos não tem portaria de noite e os grandes resorts estão um pouco fora do nosso orçamento. Procurando pelo guia 4 rodas, fizemos algumas ligações e achamos a Pousada Água Marinha, que depois de ter aprendido que precisamos olhar o quarto antes esse nos agradou bastante.

Descarregamos as malas, arrumamos um pouco e como estava muito queimado, a Grazi tentou passar um caladril mas não conseguiu pois doía muito e até baixou minha pressão.. coisa de pessoa sensívecordamos cedissimo pois marcamos um passeio para as 8h da manhã e queríamos tomar café da manha ainda. Mudei meus conceitos em relação ao Íbis, parece que pelo nordeste ele é muito melhor que no resto do pais. Mesmo não tendo muitas mordomias a estadia foi muito boa.

Fomos pro lugar marcado para saída da nossa jangada em direção as piscinas naturais na praia de Pajuçara, chegando no lugar o jangadeiro estava aguardando o outro casal que tinha confirmado ainda e que não apareceram.. acabamos saindo sozinho mas logo em seguida apareceu um casal de Foz do Iguaçu para nos acompanhar na viagem. A distancia das piscinas é de 2km só mas o ideal é ir em época de lua cheia pois a maré fica bem baixa e a água fica pelos joelhos, hoje estava pela cintura. Tentamos mergulhar de Snork mas a água não é tão transparente que pudéssemos enxergar muito, mas é só dar um pouco de pão que os peixinhos aparecem rapidinho. Ficamos por lá quase 2h e só voltamos pois a nossa companheira de jangada estava muito enjoada. A volta é bem mais rápida pois viemos a favor do vento.

Marcamos de ir de tarde pras praias do sul de Maceió com esse casal, mas no fim ela estava indisposta ainda e fomos só nós. Antes passamos no hotel, tomamos um banho, descansamos um pouco e fizemos as malas, precisávamos fazer check-out ao meio dia. Deixamos as malas no hotel e fomos procurar um lugar para almoçar e isso para nós é um grande problema pois a indecisão é algo.. Por muita sorte, achamos um restaurante excelente no bairro de Stella Maris que é o mesmo nome do restaurante. A propaganda parecia enganosa.. Sushi, Sashimi, Churrasco, Pratos quentes e saladas.. geralmente não é muito bom mas esse estava excelente. Comemos muito e fomos pegar a estrada para conhecer algumas praias do sul de Maceió.

A distancia até a ultima praia que vamos conhecer é de 50km e a primeira parada vai ser na Praia do Frances. Essa praia parece um pouco com a praia da Ferrugem em Santa Catarina, a única diferença é o marzão verde e quentinho. Tinha bastante gente, com som na praia, quiosques e toda infra-estrutura. Não ficamos muito por lá, o sol estava de rachar e eu como estava muito queimado estava sofrendo com o sol.

Seguimos depois para Barra de São Miguel, que mais parecia uma praia de luxo. Muitas casas grandes, com condomínios de luxo (Gafisa e Inpar construindo grandes condomínios) mas tinha pouca gente na praia. Cada casa tem uma saída exclusiva para praia. Nem circulamos muito por dentro da praia, queríamos passar na outra praia ainda e aqui escurece cedo.

Ultima parada na praia do Gunga mas acabamos nem indo para beira da praia, fomos no mirante da praia onde se pode ver muitos coqueiros, ouvi falar em 420.000 coqueiros, mas não confirmados. Todos esses coqueiros são de propriedade privada. A paisagem no caminho dessa praia é lindo, tem um rio que se junta com o mar alem de muita vegetação. Apenas tiramos algumas fotos e voltamos pois queríamos sair cedo de Maceió e ainda precisávamos fazer compras.

No retorno, nosso primeiro imprevisto de viagem.. Um super engarrafamento. Ficamos quase 2h horas e nem conseguimos ver o que aconteceu. De volta a Maceió, a Grazi estava louca para comer uma Tapioca com café, desejo atendido, pegamos as malas no hotel e fomos até uma feirinha de artesanato na orla. Da vontade de comprar tudo, mas precisamos comprar aos poucos para ter espaço pra tudo.

Nosso próximo destino é Porto de Galinhas, já em Pernambuco. Até lá pela orla é 280km, no caminho a viagem foi bem tranquila, pegamos varias pancadas de chuva mas chegamos rápido até. Por volta das 23h30 já estávamos na cidade. Hotel era um pouco complicado, pois as pousadas menos não tem portaria de noite e os grandes resorts estão um pouco fora do nosso orçamento. Procurando pelo guia 4 rodas, fizemos algumas ligações e achamos a Pousada Água Marinha, que depois de ter aprendido que precisamos olhar o quarto antes esse nos agradou bastante.

Descarregamos as malas, arrumamos um pouco e como estava muito queimado, a Grazi tentou passar um caladril mas não conseguiu pois doía muito e até baixou minha pressão.. coisa de pessoa sensível