24
Ago

Esse ano fizemos uma edição extra do fondue sói com o pessoal da StudioGT, o outro foi meio bagunçado.

Muito mais organizado, flui tudo direitinho incluindo o Vagner que bebeu bastante e divertiu todo mundo.

  • DSC_8871
  • DSC_8875
  • DSC_8893
  • DSC_8911
  • DSC_8918
  • DSC_8925
  • DSC_8933
  • DSC_8937
  • DSC_8940


Hoje consegui fazer dois happy hour, primeiro com o pessoal do escritório, no patio ivo rizzo onde tinha uma bandinha do rio de janeiro e depois no perro libre com o Galina e o Iuri.

A banda tocava muito bem e ainda tinha um chopp artesanal bem bom e barato. Deu até tempo para degustar um charuto.

Mais tarde fui para o perro libre encontrar os guris. Este bar estava na minha lista de lugares a conhecer e acabou aparecendo uma oportunidade. O Chopp é bom porem não é muito barato.



  • IMG_6832
  • IMG_6868
  • IMG_6869


Meu sogro concluiu o que eu tinha desistido e finalizou a montagem do quebra cabeça do vaticano com 6000 peças. A expectativa era finalizar até o final do ano, mas num certo ponto começou a evoluir bem.

14053959_1093025304079935_1455569726555119590_n
14053959_1093025304079935_1455569726555119590_n

  • 14053959_1093025304079935_1455569726555119590_n


Mais uma corridinha porem mais cedo que os outros dias e precisei levantar as 6h30 da madrugada e até vi o sol nascer!

Estava com uma expectativa boa para essa corrida porem o sol e o calor de quase 30 graus acabaram com a minha corrida. Até o km 7 estava bem e iria acabar antes de 1h mas nos últimos quilômetros não aguentei o forte calor, completei a corrida em 1:02:24.

Classificação Geral: 327
Classificação na cat 30-34 anos: 54
Pace médio: 6:14

  • foto 1 (1)
  • foto 2 (1)
  • foto 3 (1)
  • GAB_1728
  • GAB_1729
  • GAB_1730


Mais um espetáculo do Cirque du Soleil que assistimos. Depois de ter visto o Ó achamos este um pouco 'fraco', teve duas partes interessantes mas de qualquer forma valeu muito a pena. Fomos junto com o Silvio, Santi, Alex e Lizandra.

Esta vez eles estavam bem rigorosos em tirar fotos do espetáculo, mas eu consegui tirar várias.

  • IMG_0045
  • IMG_0047
  • IMG_0051


Hoje resolvi fazer o prato que aprendemos no curso, mas fiz ele diferente e ficou bom e como sempre, tenho algumas retificações a fazer no próximo.

Receita Molho:

1 xícara de vinho do porto
1 xícara de vinho tinto
1 colher de sopa de caldo de carne

Preparo:

Coloque os ingredientes na panela e deixe reduzir até a metade, quando estiver quase pronto, coloque o roux (manteiga com farinha) para engrossar.

  • DSC_8870
  • DSC_8884


Acordamos às 9h para tomar café da manhã e descobri que o café daqui é uma porcaria, mas tudo bem pagamos barato o hotel mesmo. Voltamos para o quarto para nos arrumar, hoje será o nosso primeiro dia de esqui e estamos ansiosos.

Enquanto a Grazi se arrumava, fui alugar o carro aqui na rua de baixo. Cheguei lá e a mulher já estava me aguardando com o nosso possante das neves. O carro é um fiesta novinho.

Voltei para buscar a Grazi e fomos buscar os guris no hotel deles. Chegando lá já estavam nos aguardando, colocamos os esquis no carro e partimos para o Cerro Catedral.

Até o cerro catedral é uns 30 quilômetros, e a estrada até que é boa, o problema é que não para de chover, e isto quer dizer que tem neve na montanha. Chegando próximo ao cerro catedral, a chuva já estava se transformando em neve e cada vez mais intensa.

Estacionamos o carro e a neve não parava de cair, e estava difícil de nos arrumar. E o pior é que o Snow Forecast disse que só vai fazer tempo bom no sábado e domingo, mas é isso aí, vida de esquiador não é fácil. De baixo de muita neve, fomos para a entrada do cerro catedral, e como era quase meio dia, resolvemos esperar um pouco para comprar o passe de meio turno. Quase toda montanha estava fechada, pois a neve e o vento estavam fortes lá para cima.

Aproveitamos esse tempo para almoçar no shopping da montanha, a Grazi pediu um sanduíche com carne gigantesco, que acabamos comendo os dois. Esperamos um pouco mais e fomos comprar nossos passes. A brincadeira custa meio caro para poucas descidas e poucos meios de elevações ligados, mas como estamos lá, tivemos que encarar.

Pegamos uma super fila para subir e no caminho tinha muita neve e muitooo frio, minha roupa já estava toda molhada e meus dedos não mexiam mais. Na saída do ski lift, paramos no 1600 bar e achamos uma lareira fantástica, e acabamos ficando por lá até fechar o bar.

Bom, agora não tinha outra alternativa se não descer a montanha. Estava um pouco enferrujado, fora de pratica, fora de forma, mas tive que encarar e foi difícil, pois já estava todo dolorido da bota, que acho que vou alugar uma para testar pois todo ano sofro com a bota.

Iniciamos a descida com muita neve e meu óculos não parava de embaçar, e isso era um problemão para mim, pois não enxergava a pista direito. Em questão de quedas até que não foi muitos. Depois de uns 40 minutos de descida chegamos na base e por hoje era sói mesmo. Retornamos para o shopping, onde combinamos de se encontrar depois do esqui e os guris já estavam lá nos aguardando.

Retornamos para o carro e a neve não dava trégua, colocamos tudo rapidinho no carro e fomos embora. Estava tão difícil que nem foto consegui tirar. Na volta para casa, passamos no mercadinho onde comprávamos as coisas em 2006, aproveitei para comprar umas porcarias para comer e umas empanadas para enganar a fome.

Chegamos no hotel exaustos e totalmente molhados e ficamos de molho na banheira até cansar. Depois disso fomos tirar uma sonequinha antes da janta. Nossa janta hoje seria no outro restaurante do Bolicho del Alberto mas estava lotado e acabamos indo no mesmo de ontem, até porque estava chovendo e não queríamos ficar caminhando atrás de restaurante.

Comemos bastante e no final da janta chegaram o Marcos e a Jun, tomamos mais uns vinhos ali e fomos para o apartamento deles. O lugar é ótimo, tinha dois quartos, cozinha e uma sala legal e tinha até internet! e tudo isso por 100 dólares/dia, na próxima vez é uma boa alternativa. Tomamos mais uns vinhos lá e fomos embora, estávamos cansados e o João já estava dormindo.

Fomos deixar os guris no hotel e encontramos uma sorveteria aberta a meia noite, acabamos parando para tomar um sorvete antes de dormir. O sorvete era muito bom, pedimos de lemon pie, café com leite e yogurt de frutillas.

  • DSC01003
  • DSC01004
  • DSC04080
  • DSC04085
  • DSC04092
  • DSC04103
  • DSC04107
  • DSC04108
  • DSC04110


Acordar cedo e viajar, já tinha esquecido o que era isso. saco!

Well, 8h da madrugada toca o maldito despertador, hoje era dia de esquiarem Cerro Bayo, que fica em Villa La Angostura, um vilarejo que passamos no caminho de Bariloche. A cidade tem apenas 15.000 habitantes e dizem ser um reduto dos magnatas argentinos, eu pra falar a verdade não vi nada de riquezas aqui.

Acabamos chegando na estação por volta do meio dia, eu levei todo meu equipamento mas não sabia se ia esquiar, ontem consegui detonar o meu pé numa pista vermelha mas como na hora podia ficar bom acabei tentando. Não teve jeito, preferi descansar hoje para poder esquiar amanha.

Passei a tarde com a Lúcia, que também preferiu ficar descansando. Ficamos num bar no alto da montanha, comendo e bebendo. A vista lá de cima é muito bonita, o Marcelo pra variar, tirou belas fotos (que já estão no álbum). No fim a tarde passou bem rápido. Queria muito ter esquiado, as pistas pareciam ser bem boas.

Depois disso, recolhemos os equipamentos pois queríamos conhecer o centro de VillaLa Angostura, e tirar algumas fotos no por do sol no puerto. A cidade é bem pequena e com pouquíssima estrutura básica. No puerto tiramos algumas fotos e logo nos recolhemos, pois estava esfriando.

Fomos fazer um after-ski num barzinho no centro de VillaLa Angostura, onde já estavam nos esperando a Fabrícia e o Mano. Ficamos por ali mais um tempinho, bebemos algumas cervejas e como a fome estava violenta resolvemos voltar para Bariloche e jantar por aqui, pois lá os restaurantes só abriam depois das 20h.

Antes de ir embora, passeamos nas lojinhas. Não tinha nada demais, só ó Sandro, maníaco compulsivo por compras conseguiu comprar algo.

A volta foi tranquila, 80 km não é nada pra quem já rodou mais de 4500 km nessa expedição. Íamos jantar no Bolicho del Alberto, mas ao chegar lá e ver a fila de espera o grupo acabou se dividindo, Eu, Marcelo, Mimi, João e Lúcia resolvemos ir pra casa e pedir alguma tele-entrega, os demais resolveram enfrentar a fila.

No lado da nossa cabana tinha um restaurante, que foi onde acabamos jantando. Fizemos uma janta rápida pois todos estavam muito cansados e eu, com saudades da internet.

Estou com um grande problema, minhas cuecas estão acabando, juntamente com as minhas meias. Tenho duas escolhas: Ou compro mais cuecas ou mando lavar, acho que a primeira opção é mais simples. Isso eu resolvo no sábado, ainda tenho duas sobrando.

Fico me enrolando para enviar os diários pois gosto de mandar com as fotos do dia, por isso que ele sempre chega com certo atraso. Vou tentar mudar a logística para ele chegar antes.

Bom, acho que por hoje era isso.. estou caindo de sono aqui na frente do computador e amanha será um dia de muito trabalho. Vida de esquiador não é fácil. Hoje faltam apenas 6 dias para o fim da expedição Andes 2006, teremos mais três dias de esqui pela frente e depois mais de 3000km de volta para casa. Estamos estudando como será nosso retorno, pois alguns querem passar mais tempo em Buenos Aires, mas isso será decidido na nossa reunião amanhã.

Espero que estejam todos bem por aí, pois aqui esta tudo bem!

  • andes 428
  • andes 429
  • andes 442
  • andes 443
  • andes 445
  • andes 462
  • andes 487
  • andes 504
  • andes 507