24
Nov

Já tinha me conformado em não fazer um ensaio de newborn do vini. Estava muito corrido os dias e não dava tempo para nada, eis que a Amanda conseguiu com uma amiga algumas tocas e decorações e com isso acabei fazendo.

Ele ficou muito brabo comigo e por isso não conseguimos fazer muitas fotos..

  • DSC_2357
  • DSC_2369
  • DSC_2377


Acordamos cedo pois hoje foi o dia de pegar a estrada! Como tínhamos deixado posta a nossa mesa do cafe da manha conseguimos nos alimentar rapidamente mas o que nos atrasou foi ter que fazer a mala de manha (normal).

Pegamos um cafe no caminho e fomos para a estação de metro para chegar ate a locadora do carro. Não sei como conseguimos nos perder para chegar lá sendo que tínhamos ido dois dias ates para ver onde era e se estava tudo certo. Mas tudo bem, esse não foi o pior.

Chegamos lá perto das 9h e para nossa surpresa eu tinha feito a reserva sem quilometragem ilimitada e a franquia era de 250km por dia e para ir e voltar de Amsterdam são 500km, moral da historia, tivemos que perder nossa reserva e alugar de novo no balcão. O que pagamos nos perdemos e tivemos que alugar com franquia cheia de balcão. Dá hora vida.

Como estava tudo planejado, alugamos igual e com GPS pois era muito certo que íamos nos perder. Saímos de Paris perto das 11h e nossa primeira parada foi Bruxelas, na Bélgica. A estrada aqui é muito boa com limite de velocidade de 130km/h. Até Bruxelas é 300km que se passaram tão rápidos que nem percebemos.

Configuramos no GPS para chegar direto no Atomium Park pois é uma atracao famosa aqui e bruxelas. Estava caindo uma chuvinha fraca e por isso estava bem tranquilo o movimento. Subimos no átomo e de lá da para ter uma vista de 360 graus de Bruxelas, mas isso em dia com tempo aberto e não hoje.

Pegamos o carro e fomos para a Grand Place Grote Mark  que é uma praça principal deles com muitas lojas, prédios históricos e muita gente. As ruelas são lindas e cheias de comercio. Tínhamos lido que a Bélgica era cara, mas achamos mais barato que paris por enquanto.

A primeira coisa que queríamos fazer era comer um autentico Belgium wafflel, e até que foi difícil encontrar mas isso foi porque estávamos com fome pois depois de comer que achamos por todos os lados. O que posso dizer, é bom mas falta para eles um bom doce de leite para acompanhar.

Depois do wafflel, a outra comida tradicional era as batatas com um molho meio picante e também tínhamos que provar. Nessa hora a chuva ainda caia e com isso era ruim de passear entre as ruas mas como só tínhamos aquela tarde para isso encaramos a chuva.

Fomos na famosa estatua do gurizinhio mijando (não sei o porque é tão famoso isso aqui), fomos no centro da praca onde tem vários prédios em estilo gótico, comprei uns copinhos para a minha coleção e logo pegamos a estrada.

O transito aqui em Bruxelas é extremamente caótico, na saída perdemos 1h num engarrafamento, mas na verdade acho que estava acontecendo alguma coisa pois tinha muitas policias andando com escudo.. talvez uma manifestação.

Conseguimos pegar a estrada em direção a Amsterdam por volta das 19h e tínhamos 200km até lá. A estrada estava bem tranquila, no meio do caminho paramos num posto para comprar uma coca e por milagre tinha até internet wifi de graça.

Chegamos em amsterdam as 21h e o nosso hotel estava muito bem localizado, quase no ferry que atravessa para a estação central. Nosso quarto de hotel parece uma suite presidencial perto do nosso de paris.

Pegamos um para e algumas dicas com o pessoal da recepção e fomos para o centro de Amsterdam. O ferry é de graça e tem toda hora. Pro lado de lá e cheio de canais e tem ônibus, metro, barco e muitas bicicletas. A noite é o forte de lá, tinha uma tonelada de pessoas andando pelas ruas e fomos caminhando direto em direção ao Red Light District, onde ficam as tradicional prostitutas nas janelas. Achei que iam ser aquelas gordas feias mas são todas loiras, peitudas, magrinhas, estilo suecas, ficamos impressionados.

Maconha tem por tudo, tivemos que entrar num desses cafés para conhecer. Tomamos uma cerveja e para todos aos lados estavam fechando os baseados, é bem divertido. Na volta para o hotel, já passavam da meia noite, paramos para comer uma pizza num restaurante e retornar, amanha teremos um dia cheio.

  • DSC_6851
  • DSC_6863
  • DSC_6870
  • DSC_6877
  • DSC_6885
  • DSC_6886
  • DSC_6891
  • DSC_6899
  • DSC_6908


Depois de quase uma semana um pouco afastado da cozinha, aproveitei que a Grazi foi para cachoeirinha e estava com uma receita para testar a tempos. Tinha tudo em casa para preparar uns cookies novos.

Eu achei bom, mas nada de muito fenomenal, segue a receita.

Ingredientes para o cookie:

120g de manteiga sem sal (temperatura ambiente)
250g de açúcar mascavo claro
1 ovo
1 colher (chá) de extrato de baunilha
330g de farinha de trigo
90g de cacau em pó
1/4 colher (chá) de sal
1/2 colher (chá) de fermento em pó

Ingredientes para o recheio:

1 e 1/2 colher (sopa) de manteiga sem sal (temperatura ambiente)
1/2 xícara de açúcar de confeiteiro
2 colheres (chá) de cacau em pó
1 colher (sopa) de café expresso

E agora, o que eu faço?

Penere todos os pós e reserve (exceto o açúcar mascavo).

Bata a manteiga com o açúcar mascavo até ficar um creme claro e fofo, e tão acrescente o ovo e o extrato de baunilha e bata até misturar bem. Acrescente os pós e deixe incorporar bem até ficar uma massa homogênea.

Numa assadeira grande, forre com filme plástico e espalhe a massa até que fique numa espessura fina e então cubra com filme por cima e leva para geladeira por 1h.

Após resfria-la, com ajuda de uma argola, faça pequenos círculos e leve ao forno baixo (180g) por 9 minutos.

Para o recheio, misture todos os ingredientes até formar uma massa.



 

  • DSC_9713