Archives

All posts for the month abril, 2009

Aniversário

Mais um aniversário que faço no Riversides, espero que seja o ultimo. Como recem voltei de viagem, não sobrou muito tempo para escolher um lugar melhor, alias, nem tinha pensado em fazer algo mas como sempre faço, optei pelo mais pratico.

O dia foi uma correia, já que ficamos alguns dias fora mas os meus amigos estavam lá, inclusive o Gibinha que estava de passagem por aqui.

Nossa despedida de ferias começou cedo.. Por volta das 7h da manha o despertador tocou e não tinha muito tempo para sonecas. Como já tínhamos feito as malas na noite anterior, foi só necessário carregar o carro e fazer o check-out no hotel. Esse Íbis que ficamos era para dentro da cidade de Aracaju, prejudicando um pouco nosso deslocamento. Nem tomamos café no hotel para não perder muito tempo.

Logo pegamos a BR101 sul em direção a salvador, nosso percurso era de  320km com uma parada 70km de Salvador.

A estrada estava bem tranquila, se bem que era num domingo de manha cedo. Em menos de 3 horas já estávamos chegando perto da nossa ultima parada, a única emoção dessa viagem foi que a policia rodoviária nos parou, e como eu estava com a minha carteira irregular e dirigindo um  carro manual poderia nos causar problemas mas como pedimos na Igreja do Bom Fim para que tudo de certo na nossa viagem, nada aconteceu.

Entramos em direção a praia do forte, onde fica a base principal do projeto tamar, projeto de preservação das tartarugas marinhas. Com custo de R$ 10,00 a entrada, fomos conhecer o projeto. La tinha diversas piscinas com tartarugas gigantes e outras espécies de peixes, incluindo tubarões.

Não tínhamos muito tempo ali, pois tínhamos que devolver nosso buggy e se desse algum imprevisto não perderíamos nosso voo. Esta bem cheio o lugar, e tinha tartarugas enormes, algumas chegam a 700kg! Olhamos todas as piscinas, tiramos fotos e conhecemos um pouco a praia. O lugar e muito bonito e a praia para tomar banho parece ótimo. Tem também pontos de mergulho.

Saímos de lá próximo do meio dia, precisávamos fazer o check-in, devolver o carro e almoçar. Deixei a Grazi na área de embarque da gol e fui até o car return da hertz. Estávamos com medo que tivesse algo estragado, pois nosso fiesta virou um buggy durante a viagem. No final o cara só olhou a kilometragem e se o estepe estava no lugar.

Passei no guichê da hertz, entreguei a papelada, paguei o aluguel e subi para área de embarque, onde a Grazi já havia feito o check-in. Fomos almoçar por ali mesmo, comemos no bobs que é mais rápido porem o sanduíche do mac donalds é melhor.

Almoçamos na corrida e fomos para o portão de embarque e antes das 14h30 já estávamos decolando em direção a são Paulo. Chegamos em porto alegre as 20h. Já amanha retomamos nossa rotina de muito trabalho e aguardando nossas próximas ferias em setembro.

Nosso passeio foi bem legal, apesar dos 5 dias de chuva, conseguimos aproveitar bem. Foram mais de 2000km de Salvador até Recife, passamos pelos estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco. Eu e a Grazi gostamos muito de Maceió e de Porto de galinhas. A praia de carro quebrado também é muito legal, mesmo de passagem muito rápida. A gastronomia do nordeste é bem boa, eu gostei muito do feijão tropeiro e da carne de sol, a Grazi adorou as tapiocas. Outra coisa impressionante aqui foram as bebidas, que alem de muito barato eram excelentes.

Se fosse escolher um lugar para morar desses que conhecemos, ficaríamos ambos com Maceió, por tudo.. O clima, a noite na orla, os barzinhos e a praia (a Grazi inclui a tapioca da frente do nosso hotel em pajuçara).

Conhecemos bastante gente bacana pelo caminho.. O casal em lua de mel Kris e Rafa, de foz do Iguaçu. A Franciele Lima, de Osório que esta morando em Maragogi. Os guias Vanderson, Almir e Felipe. O Moises do BBB2 e o irmão dele, gente finíssima eles alem de um pessoal de Feira de Santana. A Karla, que nos acompanhou junto com o Gibinha durante nossa estadia em Salvador.

Faltou nessa viagem a gente conhecer melhor Recife e Aracaju que acabou sobrando pouco tempo para essas duas cidades, mas como vamos voltar para conhecer algumas cidades para cima de Recife vamos conseguir voltar.

Melhor hospedagem: Íbis Maceió

Melhor janta: pizza no Carlito (Maceió)

Melhor almoço: Stella Maris Maceió

Melhor passeio: mergulho em Maragogi

Melhor praia: porto de galinhas

Melhor dia: todos

Melhor paisagem: mirante de carro quebrado

Acordamos um pouco tarde hoje pois combinamos com um guia turístico para fazer um passeio pelas praias ao norte de Maceió. Nosso horário de saída era a partir das 9h30. Tomamos café (e eu comi demais para varias) arrumamos as malas e fizemos o check-out no hotel. Nosso guia era o Vanderson, conhecemos ele ontem durante o passeio para as piscinas naturais e ele sugeriu esse passeio para nós.

Nossa primeira parada foi na praia de Japaratinga, que o mais impressionante era o recuo da maré, o mar ficava beeem longe durante a maré baixa. Vários barcos ficavam encalhados na maré baixa. Seguimos para a praia de Bitingui, era uma praia meio deserta, mas com muitos coqueiros.. Passamos ainda pelas praias de Barreira do Boqueirão e Pontal do Boqueirão, onde pegamos uma balsa para Praia do Patacho.

Seguimos nosso rally pela beira da praia (se o Sr. Hertz lê isso..) onde nosso fiesta já virou um buggy e estava todo sujo já. Passamos pela praia de Lages e Praia do Riacho. Essa praia tem esse nome por causa das valas que abre no meio da praia. Depois desse ponto retornamos para a estrada pois iríamos para a Praia do Carro Quebrado, que era a praia que tínhamos muito interesse em ir. O caminho para essa praia é muito ruim, deve ser por isso que a praia ganhou esse nome. Deu mais ou menos uns 20km de chão batido, buracos, água, barro e demais obstáculos. Antes de chegar na praia, fomos para o mirante da praia. O lugar é muito bonito e da pra ver tudo lá de cima,. inclusive o encontro de águas e os recifes.

Voltamos para pegar o caminho da praia.. mais obstáculos.. quando chegamos na praia descobrimos que perdemos a placa pelo caminho.. Depois íamos procurar. Seguimos a pé pela beira da praia até o local das areias coloridas. Lugar fantástico, é lá que eles pegam as areias para fazer aquelas garrafinhas de areia do mar colorida. Conhecemos também as ‘pedras’ argilas que os índios usavam para se pintar. Tiramos bastante fotos e retornamos para o carro. Quando chegamos lá apareceu um cara com a nossa placa, ele tinha ido procurar uma outra placa e achou a nossa. Compramos uma garrafinha personalizada com o nosso nome. Nesse momento, estava subindo a maré e junto estava a mistura da água do rio com a água do mar.

Voltamos para a estrada e seguimos adiante até a próxima balsa que nos deixaria 40km de Maceió. Deixamos nosso guia logo depois da balsa e seguimos pela estrada para Maceió. Nesse momento nosso protetor de carter (que destruímos durante o rally) estava solto e fazendo um barulhão, e estávamos transitando na BR101 sem a placa dianteira. Por muita sorte, paramos numa borracharia que nos conseguiu dois parafusos para arrumar a placa, pois a menos de 5km tinha uma blitz e com certeza iriam nos parar e encher o saco.

Placa consertada, faltava arrumar o protetor de carter, não queríamos pagar para ver se a Hertz iria notar. Mais adiante, próximo de Maceió achamos uma mecânica quase fechado, o mecânico arrumou bem direitinho e ninguém vai notar. Próxima parada era uma suuuper lavagem no carro, estava muito sujo, mais 1h30 para essa missão. Como estávamos perto de Maceió e não queríamos dormir muito tarde, resolvemos jantar no mesmo lugar que almoçamos outra vez. Lá era um Riversides mais completo e mais barato. Comi muita picanha e a Grazi se entupiu de Sushi e Sashimi. Na saída aproveitamos para comprar as castanhas de Caju do Leozinho, pois em Aracaju vai ser difícil conseguir, pois chegamos tarde e sairemos muito cedo.

Pegamos a saída de Maceió em direção a Praia do Frances e seguimos até chegar na 101. A viagem foi relativamente tranquila, descontando o pouco movimento que tinha e tinha algumas coisas suspeitas durante o caminho. Em pouco menos de 3h já estávamos em Aracaju, nem nos preocupamos em procurar um hotel, fomos direto para o Íbis pois lá sabíamos que é bom e limpinho.

Subimos todas as nossas bugigangas pois teríamos que acomodar nas malas, até porque amanha sairemos bem cedo, queremos parar na Costa do Sauipe para conhecer o projeto Tamar.

O dia começou cedo hoje, as 5h da manhã teve uma queima de fogos de artifício por causa do aniversário da cidade de Maragogi, 135 anos, eu pra falar a verdade nem ouvi, quem ouviu e não conseguiu dormir depois foi a Grazi. O dia aqui (em todo nordeste) começa muito cedo.. antes das 5h da manhã o dia já amanhece. Lá pelas 8h20 descemos para tomar café e fomos para beira da praia para conhecer os passeios mas logo na chegada tinha um barco saindo em direção as piscinas naturais de Maragogi e a gente embarcou.

Fica um pouco longe da costa, não da pra ir a nado, lá tem diversos recifes de corais e a água estava abaixo da cintura. Nesse dia reservamos para um passeio programado.. Mergulhar nos recifes de Maragogi. Fizemos nossa iniciação no mergulho guiado e em seguida começamos o mergulho.. Não tem explicação, lá em baixo e muito bonito e diferente do que imaginava, tem diversas cavernas, muitas espécies de peixes e demais bichos aquáticos. O mergulho foi rápido, não levou 20min mas foi excelente. Tiramos também bastante fotos (estava incluso no pacote).

Depois do mergulho ficamos tomando banho nas piscinas até a hora de ir embora. Lá tem uma divida que demora até a maré subir e cobrir toda aquela área de água. Até que para a época estava bem cheio os passeios de Maragogi. Na volta a Grazi ficou tomando um pouco de banho de sol e estávamos escolhendo onde almoçar. Caminhamos um pouco pela orla mas tinham diversos restaurantes fechados ao meio dia, depois que descobrimos que a maioria dó abre a noite e nos finais de semana.

Nosso almoço não foi muito bom, comemos uma comida chinesa. Aqui falta muita coisa, o abastecimento de comida não é tão constante como nas outras cidades que visitamos. No barco conhecemos uma gaúcha de Osório, a Franciele Lima, que se mudou para cá em fevereiro e esta vivendo de turismo e ela trabalha num restaurante na parte da noite.

Durante a tarde fizemos uma coisa que toda a viagem não deu tempo: Dormir. Sim, dormimos a tarde toda.. com ar condicionado ligado, e foi assim até escurecer. Depois disso passamos no restaurante da Franciele para ver o que eles serviam lá mas ainda estava fechado.

Nos sugeriram a Pizza da Regina que fica na orla, o lugar era bem bonitinho e a pizza estava boa. Não ficamos muito tempo pois queríamos voltar para o hotel e tomar uma champa. Antes de retornar, passamos no bar da Franciele e marcamos como Vanderson (guia) um passeio pelas praias que iremos fazer amanhã.

Minha impressão de Maragogi é de uma cidade com pouco desenvolvimento ainda, achei poucas atrações de lazer na cidade. Os restaurantes são poucos e caros (tirando a bebida, que é barato em todo Nordeste). Mas as piscinas naturais e o mergulho são excelentes, valeu a pena.

Acordamos cedissimo pois era certo que ia dar sol. Por volta das 7h20 acordamos e fomos tomar café eu pra variar, comi um monte. Depois do café nos arrumamos e fomos em direção a praia, o passeio de hoje era nas piscinas naturais. Como a maré sobe rápido, tínhamos que chegar cedo. Acabamos indo para as piscinas nadando pois não era muito longe e dava pé de um lado a outro (e economizamos 20 pila!). O lugar é lindo, muito peixinhos de todos os tipos, cores e tamanho o único inconveniente era os corais e os ouriços que machucam. Nesse lugar que tem o famoso mapa do Brasil, tiramos muitas fotos lá e tomamos banho dentro de um recife de corais e fomos embora antes da maré subir.

Ainda era muito cedo, recém 9h então fomos pra pousada, tomamos banho e descarreguei as fotos e saímos em direção à Maracaipe. Neste lugar tem os mangues e os cavalos marinhos. No meio do caminho começou uma chuva forte mas não desistimos, íamos de qualquer jeito pois é nosso ultimo dia em Porto de Galinhas. Lá tinham bastante jangadeiros que faziam a travessia de um lado a outro de um rio onde ficam os cavalos marinhos. Nosso Jangadeiro mergulhou e pegou dois cavalinhos marinho, bem pequenos (nem sei se eles crescem muito) então tiramos umas fotos e continuamos nosso passeio de jangada. Passamos por uns manguezais vimos bastante caranguejos e tiramos fotos. Depois passeamos um pouco pela praia de Maracaipe e retornamos. Nossa próxima parada é o outro extremo da praia, Muro Alto.

Este lugar se chama assim pois tem um muro que separa o mar criando uma piscina quase sem onda quando a maré esta baixa. Ficamos sentados na beira do mar, tomando umas caipirinhas e apreciando a paisagem. A praia é bem curtinha, sem muito espaço para transitar e cheio de resorts.. Como a comida era muito cara, fomos para o centro de Porto de Galinhas almoçar e ficar na praia de lá onde as coisas são mais baratinhas.

Almoçamos num restaurante bem no calçadão, o cardápio foi um filé xadrez com fritas, lingüiça calabresa e pão com alho e para beber coca e caipirinha. Descobrimos que aqui a caipirinha é muito barata, em alguns lugares chegam a custar R$3,50!! e o principal, são muito boas!.

Depois do almoço, caminhamos um pouco pelas lojinhas do calçadão e voltamos para a praia onde alugamos umas cadeiras e guarda-sol. A Grazi ficou tomando banho de sol e eu descansando. Aqui escurece muito cedo, 15h o sol já esta se preparando pra ir embora.. ficamos até umas 16h e fomos para o hotel, o pessoal deixou a gente fazer o check-out no final da tarde, pois queríamos tomar banho para viajar.

Já na pousada (depois de nos perder pelas ruelas de Porto de Galinhas) arrumamos a bagunça e tomamos banho liberamos o quarto e fomos de volta para o centrinho, queríamos comprar algumas lembrancinhas daqui. A Grazi pra varias, foi comer tapioca com café e eu como estava cheio do almoço ainda tomei uma coca só. Nos artesanatos tem sempre as mesmas coisas então nem olhamos muito, compramos uma lembrancinha e meu copinho e fomos pra estrada pois nosso destino de hoje era Maragoggi.

De Porto até Maragoggi é apenas 90km então foi bem rápido a viagem até lá. No caminho o movimento era baixo logo chegamos em Maragoggi. A cidade parecia ser bem grande pois não chegava nunca o pórtico de entrada. No centrinho de Maragoggi entramos no primeiro hotel e já gostamos. Estamos num hotel de frente pro mar, não tem muito luxo mas como queremos só para dormir já serve. Chegamos a tempo de ver a novela e colocar algumas fotos no ar. Amanha teremos um dia cheio pois vamos tentar fazer todos os passeios alem de mergulhar.

Acordamos tarde, pois estava chovendo e sem previsão de sol. Tomamos café perto das 10h e ficamos descansando no quarto e pensando qual seria nosso destino. Essa época por aqui é de muita chuva, mas não temos muita escolha. Acabamos indo para Recife pois mesmo com chuva podemos fazer um city tour de carro. Recife é bem próximo daqui, uns 60km só.

Antes de sair, tentamos pesquisar alguns pontos turísticos de Recife mas não achamos muita coisa, a idéia era ir num Ponto de informação ao Turista. A primeira parada no Recife foi o Shopping Center Recife, lá íamos pegar informações ao Turista e almoçar pois acho que perderíamos muito tempo procurando um restaurante numa cidade que não conhecemos. O meu almoço não foi nada light, derrubei um Burger King GG e a Grazi comeu 2 Temaki. Passeamos um pouquinho pelo shopping e logo saímos em direção da praça da boa Viagem onde encontramos uma igreja e aproveitamos para pedir sol para os últimos dias de férias. Pegamos um mapa e demais informações e saímos correndo, pois escurece cedo por aqui.

Nossa primeira parada era no Marco Zero, pois estava no caminho para a cidade histórica. Nos perdemos um pouco pelo caminho, pois me pareceu bem confuso a cidade. Separamos 2 lugares para visitar, os bairros de São Jose e Santo Antonio. Lá é localizado a cidade histórica e o centrinho. Mas no fim acabou a pilha da maquina fotográfica e como estava nublado começou a escurecer e não nos restava muitas alternativas e acabamos indo conhecer a Casa de Cultura onde tem uma feirinha de artesanato. Fizemos umas comprinhas e fomos embora.

A volta também foi rápida, viemos para a pousada, tomamos um banho e descansamos um pouco. A janta foi uma sugestão de um amigo, Pizzaria do Moises, ex-BBB2. Não foi muito difícil achar, pois todos o conheciam.. conversamos com o irmão dele e fizemos nosso pedido e logo depois ele chegou. Foi super simpático, sentou na nossa mesa e ficamos conversando sobre o BBB, ele é super gente boa.

Depois da janta fomos dar uma voltinha mas já estava tudo fechado, viemos embora pois amanha vamos acordar antes das 7h para aproveitar nosso ultimo dia aqui em Porto de Galinhas.

Acordamos cedissimo pois marcamos um passeio para as 8h da manhã e queríamos tomar café da manha ainda. Mudei meus conceitos em relação ao Íbis, parece que pelo nordeste ele é muito melhor que no resto do pais. Mesmo não tendo muitas mordomias a estadia foi muito boa.

Fomos pro lugar marcado para saída da nossa jangada em direção as piscinas naturais na praia de Pajuçara, chegando no lugar o jangadeiro estava aguardando o outro casal que tinha confirmado ainda e que não apareceram.. acabamos saindo sozinho mas logo em seguida apareceu um casal de Foz do Iguaçu para nos acompanhar na viagem. A distancia das piscinas é de 2km só mas o ideal é ir em época de lua cheia pois a maré fica bem baixa e a água fica pelos joelhos, hoje estava pela cintura. Tentamos mergulhar de Snork mas a água não é tão transparente que pudéssemos enxergar muito, mas é só dar um pouco de pão que os peixinhos aparecem rapidinho. Ficamos por lá quase 2h e só voltamos pois a nossa companheira de jangada estava muito enjoada. A volta é bem mais rápida pois viemos a favor do vento.

Marcamos de ir de tarde pras praias do sul de Maceió com esse casal, mas no fim ela estava indisposta ainda e fomos só nós. Antes passamos no hotel, tomamos um banho, descansamos um pouco e fizemos as malas, precisávamos fazer check-out ao meio dia. Deixamos as malas no hotel e fomos procurar um lugar para almoçar e isso para nós é um grande problema pois a indecisão é algo.. Por muita sorte, achamos um restaurante excelente no bairro de Stella Maris que é o mesmo nome do restaurante. A propaganda parecia enganosa.. Sushi, Sashimi, Churrasco, Pratos quentes e saladas.. geralmente não é muito bom mas esse estava excelente. Comemos muito e fomos pegar a estrada para conhecer algumas praias do sul de Maceió.

A distancia até a ultima praia que vamos conhecer é de 50km e a primeira parada vai ser na Praia do Frances. Essa praia parece um pouco com a praia da Ferrugem em Santa Catarina, a única diferença é o marzão verde e quentinho. Tinha bastante gente, com som na praia, quiosques e toda infra-estrutura. Não ficamos muito por lá, o sol estava de rachar e eu como estava muito queimado estava sofrendo com o sol.

Seguimos depois para Barra de São Miguel, que mais parecia uma praia de luxo. Muitas casas grandes, com condomínios de luxo (Gafisa e Inpar construindo grandes condomínios) mas tinha pouca gente na praia. Cada casa tem uma saída exclusiva para praia. Nem circulamos muito por dentro da praia, queríamos passar na outra praia ainda e aqui escurece cedo.

Ultima parada na praia do Gunga mas acabamos nem indo para beira da praia, fomos no mirante da praia onde se pode ver muitos coqueiros, ouvi falar em 420.000 coqueiros, mas não confirmados. Todos esses coqueiros são de propriedade privada. A paisagem no caminho dessa praia é lindo, tem um rio que se junta com o mar alem de muita vegetação. Apenas tiramos algumas fotos e voltamos pois queríamos sair cedo de Maceió e ainda precisávamos fazer compras.

No retorno, nosso primeiro imprevisto de viagem.. Um super engarrafamento. Ficamos quase 2h horas e nem conseguimos ver o que aconteceu. De volta a Maceió, a Grazi estava louca para comer uma Tapioca com café, desejo atendido, pegamos as malas no hotel e fomos até uma feirinha de artesanato na orla. Da vontade de comprar tudo, mas precisamos comprar aos poucos para ter espaço pra tudo.

Nosso próximo destino é Porto de Galinhas, já em Pernambuco. Até lá pela orla é 280km, no caminho a viagem foi bem tranquila, pegamos varias pancadas de chuva mas chegamos rápido até. Por volta das 23h30 já estávamos na cidade. Hotel era um pouco complicado, pois as pousadas menos não tem portaria de noite e os grandes resorts estão um pouco fora do nosso orçamento. Procurando pelo guia 4 rodas, fizemos algumas ligações e achamos a Pousada Água Marinha, que depois de ter aprendido que precisamos olhar o quarto antes esse nos agradou bastante.

Descarregamos as malas, arrumamos um pouco e como estava muito queimado, a Grazi tentou passar um caladril mas não conseguiu pois doía muito e até baixou minha pressão.. coisa de pessoa sensível.

Acordei as 7h da manhã graças a um cliente ligado. Acabei perdendo um tempo para resolver o problema e nem voltei a dormir só queria arrumar as malas e deixar a pousada. Fomos procurar outro lugar para ficar pois lá não dá mais. Fizemos algumas ligações e acabamos escolhendo o Ibis por motivo de custo-benefício. O hotel fica na praia de Pajuçara e é de frente para o mar. Deixamos nossas malas lá e fomos passear pela orla. Como já estava próximo ao meio dia, nos ofereceram um passeio de escuna pelas 9 ilhas.

Pegamos a van na frente do hotel que nos levou para um restaurante próximo a ponte entre Marechal Deodoro e Maceió. Como no pacote tinha almoço incluso, acabei comendo uma carne de sol com macaxera e a Grazi comeu camarão ao coco com arroz e feijão tropeiro. Depois de toda essa comilança, partimos em direção as 9 ilhas. Esse passeio passa por algumas ilhas de pessoas histórias famosas e também conhecemos um condomínio onde o Ronaldinho Gaucho, Cristiano Ronaldo e outros tem casa por aqui.

Passamos a tarde toda nesse passeio e tem uma coisa que ninguém vai acreditar.. Eu tomei banho de mar! e para provar, tirei algumas fotos!! Todos me disseram que era impossível vir pra cá e não tomar banho pois a água é muito limpa consegui ver meus pés!! Ficamos bastante tempo dentro da água pois estava muito boa. Nesse lugar onde ficamos é o lugar onde o mar se encontra com um rio que segundo eles é o segundo maior do Brasil, só perde pra nossa Lagoa dos Patos.

Voltamos por volta das 18h e antes de voltar para o hotel, a Grazi quis comer mais Tapioca. Comemos um de coco com leite condensado e um de bacon com calabresa e queijo. Adivinha qual era o meu?

Depois disso era hora de voltar para o hotel, fazer o check-in e tomar um super banho. Precisávamos fazer algumas coisas na rua, uma delas é comprar um carregador pois esqueci o cabo em casa alias, carregadores está sendo um problema na minha vida, em cada lugar que eu vou preciso comprar um.

Fomos conhecer o Shopping iguatemi que alias, é bem grande até.. mas as coisas são bem mais caras por aqui mas só esses artigos de shopping pois comida e bebida é muito barato, muito mesmo. Depois das compras (compramos protetor solar também!) fomos procurar algum lugar para jantar alias esse é um grande problema sempre.. o que comer?

Pensamos em come Sushi, ir num barzinho badalado, comer pizza, ir num restaurante na orla ou comer num quiosque na praia e isso é um problema pois nem eu nem ela decide. Morremos na pizza que alias estava bem boa num restaurante bem legal na beira da praia.

Quase meia noite é hora de voltar pra casa e dormir, amanha precisamos acordar bem cedo para fazer uma viagem até as piscinas naturais de pajuçara. Precisamos também fazer comprinhas e conhecer algumas coisas que nos indicaram.

Mais uma manhã chuvosa.. :(

Acordamos cedo para tentar aproveitar o ultimo dia em Salvador, mas o tempo não estava ajudando. Por volta das 13h a chuva acalmou um pouco e decidimos tentar conhecer os últimos lugares que a chuva permitisse. A primeira parada foi no Dique do Tororó, que diz o Gibinha que é um folclore de criança (que eu nunca tinha ouvido falar). Nesse dique tinha alguns Orixas, que é conhecido também por Lago dos Orixas.

Saindo do dique, fomos em direção à igreja do Bomfim, pois queríamos muito conhecer esse lugar. Com uma chuvinha fraca conhecemos a Igreja. Fizemos o ritual de prender as fitinhas do bomfim nas grades da igreja e fazendo pedidos, um dos nossos pedidos foi para que a chuva parasse para poder seguir nossas férias sem chuva. Já passava das 15h e a fome estava forte, a Karla sugeriu um lugar próximo a igreja no Forte do Mont’Serrat com comida caseira. Estava bem bom.

Saindo de lá conhecemos o Forte de Mont’Serrat, Ponta de Humaitá e passeamos pela zona portuária de Salvador. Paramos no Solar do Unhão, que era a residência de um mercador importante da Bahia e agora virou cinema e museu. Como o tempo estava colaborando, fomos fazer uma parte da nossa programação de Domingo, que era conhecer as praias de Salvador e arredores. Fomos em direção a Lauro de Freitas que tinha um condomínio fechado na praia, o Vilas do Atlântico, ficamos um pouco por lá e resolvemos voltar para pegar o carro no aeroporto e seguir viagem.

Na locadora, ganhei um upgrade de carro para um Fiesta com ar e direção que alias, foi uma ótima idéia pois não sabíamos como estaria o tempo nos próximos dias. O carro não tinha nem 20.000km e estava com cheirinho de novo ainda. A Grazi queria provar o acarajé antes de partir pois para onde vamos não tem costume de comer isso. Ela adorou e aproveitou para provar o Beijú, já que de manhã estava fechado o lugar onde íamos provar. Parece que ela gostou mais do Beijú (Tapioca) do que o acarajé.

Nos despedimos do Gibinha e da Karla e iniciamos nossa viagem de quase 600km. Nossa idéia era para em Maragoggi mas descobrimos que fica acima de Maceió onde íamos para também. A viagem foi relativamente rápida pois estávamos loucos pra conhecer as praias de cima, fizemos uma pequena parada para abastecer e comer alguma coisa e seguimos viagem. Dirigimos boa parte da viagem pela BR-101 que aqui para cima esta muito melhor que a nossa. A 180km de Maceió a gente viu um possível acidente de moto no final de uma ponte mas pelo jeito que os envolvidos estavam atacando os carros mais parecia o golpe do acidente. Avisamos a policia e seguimos viagem.

Chegamos em Maceió por volta das 2h da manhã, o Gibinha deu duas sugestões de pousada e acredito que escolhemos a errada. A pousada era muito ruim mas não tínhamos tempo para procurar outra então, ficamos por lá.

Queria agradecer ao Gibinha pela hospitalidade e pelo city tour por Salvador. :)

O dia não começou bem hoje. Choveu a noite inteira e hoje que seria nosso dia de praia foi literalmente por água abaixo. Acordamos a primeira vez as 8h30 e como estava chovendo voltamos a dormir até as 12h40 e como ainda estava chovendo aproveitei para trabalhar mais um pouco.

Por volta das 14h saímos para almoçar então fomos no Bar’Tal, que fica no bairro Costa Azul, não era nada chique mas tinha comida Baiana. Eu comi Feijão tropeiro com calabresa e escondidinho de calabresa junto com algumas outras coisas que não conhecia. Seguia despencando o mundo e quase nem conseguimos sair do restaurante.

Tínhamos duas opções a fazer: Ir para casa ou ir no shopping. Acabamos buscando a Carla, uma amiga do Gibinha e fomos no shopping Iguatemi. O Shopping é enorme, com 3 andares divididos em três setores distintos na classe social. O ultimo andar tem as grifes, o do meio é pra classe média e o térreo tem as financeiras, lojas de lembrancinhas, americanas e etc. Aproveitamos para experimentar sorvete na de Cupuaçu, Tapioca e Baileys que de todos achei bem bom.

Depois de cansar de tanto caminhar e a chuva castigando nosso sábado de praia, voltamos para casa e ficamos vendo tv e no computador. Eu aproveitei para resolver uns problemas que ainda resta para entrar de férias. Pro dia não ser totalmente perdido, decidimos jantar fora num lugar sugerido pelo Gibinha, um restaurante Mexicano.

As 20h30 quando a chuva acalmou um pouco, fomos pro bairro Pituba onde fica o Tijuana Mex Bar, um restaurante mexicano bem legal. Nos comemos Tacos de Carne de sol com molho barbecue, de mexicano tem só a massa de milho, o resto já foi adaptado pra Bahia. A comida estava boa e a bebida também, a Grazi descobriu as Roskas e só toma isso agora, hoje foi uma Roska de Frutas.

Do restaurante fomos pra casa e como ainda era cedo fomos ver um filme, Trama Internacional, a gente viu o trailer desse filme no cinema esses dias e parecia ser bem legal, e era. Não restando mais o que fazer, fomos dormir pois amanha iremos partir em direção ao norte e onde não tiver chuva.